Somente o homem, entre todas as outras criaturas, recebeu o dom da palavra. Pela palavra seus pensamentos, idéias, intenções são manifestados.

A palavra pode produzir vida, como pode produzir morte. Pode derrubar ou levantar, fazer sorrir ou mesmo chorar, pode unir ou separar.

A palavra revela o íntimo do ser humano. Mostra quem realmente somos. Chega até a enganar por algum tempo, mas dificilmente consegue enganar a vida toda. Quer conhecer o interior de uma pessoa? Converse bastante com ela. 

A palavra pode ser boa ou pode ser má. Depende não só do locutor, como também do receptor. Assim, pode ser bem ou má interpretada.

Publicidade
Publicidade

Por que em nossa vida temos levado palavras de desânimo no lugar de palavras de encorajamento?  Desincentivo no lugar do incentivo? Negativismo no lugar do positivismo? Desesperança? Maldade? Aflição? Por que nossas palavras são carregadas de falta de perdão? Não são usadas para o serviço do bem? São usadas para denegrir a imagem do outro?

Somos sedentos de palavras amorosas que possam mudar nossos pensamentos e ações. O filho que ouve os pais a vida toda dizendo que os amam são filhos equilibrados, diferente dos filhos criados a base de palavrões.

Desejamos ouvir sempre palavras que nos acolham, nos coloquem de pé. 

Somos sedentos de palavras sinceras, que ao dizer: "Desejo tudo de bom para você, realmente estão desejando para nós o que há de melhor."

A sinceridade e o bem irão ser vencedores quando formos abertos ao diálogo, quando soubermos entender e formos entendidos, sem briga, discussão, que são gerados pelas palavras que ferem e derrubam.

Publicidade

Somos sedentos de palavras que geram confiança, que compartilham valores. Somos sedentos de conversas úteis que nos façam crescer interiormente, que enriqueçam nossas idéias e aspirações. Somos sedentos de palavras que otimizem nossas ações, que nos alegrem e nos arranquem da solidão, que destravem o medo de nossos corações, que direcionem a  avançar e não a retroceder.

Devemos lutar constantemente, vigiar nossas palavras, para que elas possam ser instrumentos de crescimento. Para que isto aconteça é necessário estarmos bem, em paz conosco para que as palavras boas possam fluir naturalmente. Se não for assim, o melhor remédio é silenciar. Não existe um ditado que diz: Boca fechada não entra mosquito?