No  início desse mês, terminou o prazo para a implantação dos aterros sanitários nos municípios brasileiros. Depois de muito debate, foi determinado através da Lei Federal nº 12.305/2010, a qual institui a Política Nacional dos Resíduos Sólidos, para que as cidades do país dessem fim aos lixões a céu aberto.

Entre as 27 capitais, apenas 11 está com seus aterros concluídos. As outras 16 ainda não terminaram por isso, existem muitos lixões expostos, poluindo os rios, o lençol freático e o solo.

Não só nas capitais, mais várias cidades esse processo ficou pendente, mesmo tendo sido fixado um prazo, que seria 02/08/2014, e quem não cumprisse teria que pagar multas que variam entre 5.000 a 50.000 mil reais mensais. Inclusive a capital do país, ainda esta com essa pendência.

É preocupante, ver como o descarte desses resíduos é feito, onde lixo doméstico é muitas vezes misturado com o hospitalar. Isso é uma questão de saúde pública. O Brasil produz cerca de mais de duzentas e vinte mil toneladas de lixo por dia, segundo pesquisa.

Reciclar o lixo é um método muito importante, e ajuda a preservar o meio ambiente. Tem várias pessoas que vivem do lixo. São os catadores, que separam e reciclam esse material e vendem às cooperativas, e assim tiram do lixo seu sustento e de suas famílias.

Ainda é grande a deficiência na coleta dos resíduos sólidos em nosso país. Nota-se muito lixo acumulado em lugares inadequados. Há uma diversidade de lixo: doméstico, hospitalar, eletrônico, além dos materiais que podem contaminar o meio ambiente, como as pilhas, baterias entre outros.

Algumas empresas tentam-se livrar da repercussão negativa de suas marcas, com matérias publicadas na mídia, mostrando como são descartados o lixo por elas produzido, que muitas vezes é lançado no meio ambiente de qualquer maneira.

Enfim, para não piorar a situação, deve haver reciclagem e um maior cuidado, despertando nas pessoas a responsabilidade socioambiental, individual e coletiva sobre o lixo que por elas são produzido todos os dias. #Natureza