A busca por uma definição e/ou compreensão sobre os fenômenos da ciência e também da #Natureza e/ou Criação ao que tudo indica é secular, isso com base em certos tipos de conhecimento dispostos à doutrinação da humanidade, entre eles, o Sagrado.

Defender a origem e/ou o propósito da ciência e também da natureza se pode dizer é complexo, pois as espécies (homem e/ou mulher) tendem a compreender e defender o (s) assunto (s) segundo a visão e/ou o grau de conhecimento que possuem podendo, inclusive, dar motivos à geração e perpetuação de conflitos individuais e/ou grupais já apreciados pela humanidade desde tempos de outrora; portanto o discurso desse tema se trata do ponto de vista do autor, podendo haver controvérsia, claro.

Sob o ponto de vista da ciência, os fatos válidos somente são aqueles que se comprovam através de pesquisa, no que é mensurável, ou seja, no que é objetivo. Para quem pesquisa o que vale é a verdade firmada no conhecimento apreciado, onde o que é considerado frio (dados) se completa com a (s) informações, ou seja, essa última interpreta os dados e lhes dão forma, por exemplo: o que é o numeral 1 vazio, desprovido de uma explicação? Nada! Por mais que se tente explicar o numeral 1 nada se compreende, mas se atribuir uma informação do tipo “1 lindo dia”, muito embora a gramática seja escrita da forma não adequada à linguagem coloquial, a pessoa entende o significado de “1”, nesse exemplo. Mas a aceitação desse conceito pode mudar segundo a forma da apresentação desse mesmo conceito se o fenômeno for pesquisado em campo com as pessoas.

Já o fenômeno natureza, por sua vez possui como base o conhecimento subjetivo, ou seja, depende da forma com a qual se vê a coisa, e a formulação dos conceitos depende da interpretação não mensurável dos fatos, e sim da imaginação e das conclusões geralmente discutíveis ao longo do tempo, mas esse tipo de fenômeno, se avaliado tem sido o mesmo desde sua exposição ao conhecimento da humanidade; por exemplo, o que tem sido defendido como o ciclo da vida ainda é o mesmo desde o princípio de tudo e não muda mesmo com a geração de outros tipos de conhecimento e/ou interpretação em todo e qualquer forma existencial desde o início de tudo. Muitas espécies têm pesquisado a geração e manutenção da vida, mas ao que tudo indica se a o fenômeno saiu de lugar indefinido, tende chegar a lugar nenhum, portanto, depende do que a pessoa acredita.

O (s) conceito (s) sobre ciência e natureza tende se alongar por muito tempo ainda na busca de uma verdade única e não da forma em que ainda é apresentada, ou seja, sob defesa paralela de um e do outro, onde a conceituação de cada elemento ainda é defendida a unhas e dentes. No entanto, muitos estudiosos tem se rendido e/ou convergido à aceitação de que existe um ponto inicial, porém, não compreendido se visto sob os olhos objetivos.