Nesse dia 29 de agosto uma nova pesquisa do Instituto Datafolha sobre a corrida presidencial foi divulgada. A candidata Marina Silva (PSB) está empatada nas intenções de voto com a até então Presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT). Na pesquisa anterior divulgada dia 18, Marina, 21%, enquanto Dilma assumia a liderança isolada com 36%. Nessa nova pesquisa as duas candidatas aparecem com 34% das intenções de voto.

O senador Aécio Neves (PSDB), que já chegou a ter o segundo lugar garantido na corrida presidencial, hoje amarga uma terceira colocação com apenas 15% das intenções de voto, bem abaixo dos 20% obtidos na pesquisa anterior.

Publicidade
Publicidade

O candidato Pastor Everaldo (PSC) teve 2% e os demais 0% das intenções de voto. Brancos e nulos somam 8% e os que não sabem em quem votar somam 9%.

Em um possível segundo turno a candidata do PSB venceria as eleições com 50% contra 40% da presidente Dilma. Essa pesquisa foi solicitada pelo jornal "Folha de S.Paulo" e pela TV Globo e tem uma margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Foram entrevistadas 2.874 pessoas em 178 municípios brasileiros.

Breve histórico da situação

Os candidatos iniciais que se destacavam nessa eleição eram a presidente Dilma e o senador Aécio Neves. O candidato Eduardo Campos do PSB ficava na terceira posição, bem longe do tucano. Campos morreu em um acidente aéreo no início do mês de agosto e sua vice-candidata, Marina Silva assumiu a candidatura do partido.

Publicidade

Desde lá suas intenções de votos vem crescendo a cada dia.

No início, acreditava-se que era apenas uma resposta à comoção gerada pelo acidente. O candidato tucano chegou a declarar que não se preocupava com os novos números. Porém, com as novas pesquisas, o que pode ser observado é que Marina Silva está deslanchando e o candidato do PSDB vem perdendo as suas intenções de voto rapidamente, estando aparentemente fora da briga pela presidência.

A ex-senadora vem se destacando nos debates e sabendo aproveitar o pouco tempo que tem nos horários políticos. Ao que tudo indica, o segundo turno das eleições empresariais será disputado por duas mulheres.