Qual é o critério adotado pelas editorias dos jornais e telejornais de Goiânia, capital do Estado de Goiás?

A resposta é simples. O critério que beneficia seu maior patrocinador. O governo de Goiás. Que aos olhos da mídia é um governo de grandes realizações, apesar de na verdade, ser o das grandes retaliações. O Governo que desrespeitou conquistas importantes, conseguidas a duras batalhas, como, por exemplo, dos professores, que foram os maiores cabos eleitorais do atual governador e receberam como recompensa no seu primeiro ato de governo, o corte das gratificações por titularidades, acabando com o plano de cargo e salários que os mesmos levaram anos para conseguir. Qual o destaque que essa injustiça ganhou na grande mídia da capital? Nenhum.

A matança de moradores de ruas em Goiânia, só foi noticiada pela imprensa de Goiânia, depois que virou manchete na imprensa nacional. E mesmo assim, com enfoque distorcido, não responsabilizando o estado pelo descaso em que trata uma parcela da sociedade, que é a mais necessitada de proteção estatal, pessoas doentes, sem teto, sem esperança.

Agora vergonhosamente, começamos a assistir e ler algumas linhas, sobre um crime perene, que vem acontecendo seguidamente há 8 meses na capital. A matança de jovens bonitas, entre 14 e 29 anos de idade. E esses fatos só vieram a toma, porque a imprensa paulista denunciou o fato no mês passado. Porque até então, as editorias de Jornais e telejornais da capital de Goiás, mesmo tendo esses fatos ocorrido desde janeiro, não tinha noticiado nada sobre o assunto.

O pior de tudo, é a inoperância da máquina estatal. Foi preciso a imprensa nacional divulgar esse vergonhoso e brutal crime, que vem acontecendo paulatinamente à luz do dia, por seguidos oito meses, para então o governo de Goiás, se pronunciar sobre o assunto e dizer que agora está reforçando as policias militar e civil e exige urgência na solução do caso. Urgência! Após, oito meses seguidos de assassinatos? Como será que as famílias dessas jovens que foram assassinadas, estão vendo essa atitude? Principalmente aquelas que foram as primeiras vítimas?