Por volta das 10:15 horas da manhã desta quarta-feira, ouviu-se uma explosão muito forte por todos que estavam próximos, e até não tão próximos, do bairro Boqueirão em Santos. Logo a fumaça tomou conta da região e o caos se estabeleceu no trânsito local. Em princípio não sabia-se ao certo se teria sido um helicóptero ou um avião que havia caído, mas rapidamente veio a informação de que fora um avião que caíra nesta localização. Testemunhas afirmam que o avião já estava em chamas antes de bater no solo, dizem que só o que viram foi uma bola de fogo, como um asteroide caindo do céu. O avião CESSNA 560XL, prefixo PR-AFA, levava o candidato à Presidência da República pelo PSB (Partido Socialista Brasileiro), Eduardo Campos e alguns membros de sua comitiva, como o fotógrafo Alexandre Gomes Severo da Silva, o assessor Carlos Augusto Ramos Leal filho, conhecido como Percol, o também assessor e ex-deputado federal Pedro Almeida Valadares Neto, e o cinegrafista Marcelo de Oliveira Lyra, além dos Pilotos comandante José Stoffel Filho e comandante Marcos Martins, e havia saído do aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro em direção à Guarujá, no aeroporto da Base Aérea de Santos, onde o candidato a vice-governador Márcio França, aguardava o candidato para uma entrevista coletiva às 10:30 horas e um Seminário sobre o Porto de Santos às 12:30 horas, e disse ter mantido um último contato com o presidenciável às 9:00 horas desta manhã. O avião chegou a tentar descer no aeroporto da Base Aérea de Santos, em Guarujá, mas devido ao mau tempo, pois chove torrencialmente na região, o avião arremeteu e em seguida o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave.

O candidato Eduardo Campos, morre no mesmo dia que seu avô, o ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes morreu há 9 anos atrás, em 13 de agosto de 2005, em uma trágica coincidência, e deixa de luto a família, amigos e a política nacional, além de todos seus eleitores. Por duas vezes foi Governador do Estado de Pernambuco, como seu avô. Jovem, com apenas 49 anos que havia completado há somente 3 dias atrás, no dia 10 deste mês, partiu sem realizar seu sonho de tornar-se Presidente da República do Brasil.

A candidata a Vice-presidência da República pelo PSB (Partido Socialista Brasileiro), Senadora Marina Silva, lamenta profundamente a perda dos amigos. Ela havia sido convidada por Eduardo Campos a voar até Guarujá com ele, para participar da agenda de campanha, muito abalada, quase não consegue falar durante entrevista coletiva, e pede à Deus que guarde todos os amigos e afirma que a morte de Eduardo Campos é uma perda lamentável para o Brasil.

O candidato deixou o Rio de Janeiro, após compromissos e entrevista ao Jornal Nacional, onde mostrou-se confiante e muito alegre com sua candidatura. Ainda não foi confirmado o que levou à queda do avião, o corpo de bombeiros até pouco tempo atrás, ainda procurava os corpos dos passageiros e tripulantes com a ajuda de cães farejadores. A chuva que não parou até agora ajudou a apagar o fogo, mas atrapalha nas buscas. Três imóveis foram atingidos na queda do avião, inclusive uma academia de ginástica, onde professor e alunos, que estavam lá na hora da explosão, atiraram-se na água, afundando dentro dela para protegerem-se.

Nesta cinzenta, fria e triste manhã de quarta-feira, 13 de agosto de 2014, uma explosão fez tremer o solo de Santos e foi sentida até nos prédios da Avenida Ana Costa, a mais ou menos 5 ou 6 quadras de seu local originário, uma tragédia que abalou a todos os brasileiros, deixando 7 mortos e aproximadamente 10 feridos, relatados até o momento. Resta-nos agora, aguardar o desfecho da apuração do acidente e rezar por aqueles que se foram. O Brasil perde um bom candidato à Presidência da República, pai de 5 filhos, que estava em terceiro lugar nas pesquisas, atrás de Dilma Roussef e Aécio Neves, com quem poderia aliar-se no segundo turno e acabar com o "reinado" do PT para alegria de muitos.