A menopausa normalmente ocorre aos 50 anos, fase em que a mulher já se encontra no climatério, a transição da fase reprodutiva para a pós menopausa, e muitas vezes traz transtornos diversos para a vida de uma mulher. Nesta transição, os ovários têm sua função diminuída, os ciclos menstruais ficam irregulares, podem ocorrer hemorragias, ciclos longos, e outras anormalidades. Quando a menopausa realmente bate à porta, o sangramento tende a diminuir, até por fim desaparecer. Normalmente o climatério dura dos 40 aos 65 anos, e como a menopausa em si, ocorre normalmente aos 50 anos, aos 65, a mulher já não sangra mais há alguns anos e os últimos sintomas do climatério terminam por ir embora de vez.

Publicidade
Publicidade

A maioria das mulheres sofrem com antecedência só em pensar na menopausa. Há um grande tabu com relação a esta fase da vida feminina, mas é possível atravessá-la sem maiores problemas. Existem tratamentos de reposição hormonal, muito controversos, pois pesquisas afirmam que o uso de hormônios, estimulam o aparecimento de câncer de mama, infarto e derrame. Mas também existem pesquisadores e médicos que acreditam na reposição hormonal como sendo muito importante nesta etapa da vida de uma mulher, pois aumenta a libido, diminui a gordura abdominal normalmente aumentada neste período, melhora pele, cabelos e unhas, enfim, devolve a feminilidade, tão importante para uma mulher.

As ondas de calor, irritabilidade, tonturas, palpitações, depressão, aumento de peso, perda da libido, diminuição das mamas e perda da firmeza, pele flácida principalmente na face e pescoço, aumento da porosidade dos ossos, entre outras coisas, realmente são difíceis de se lidar e assustam as mulheres que estão começando a entrar nesta fase.

Publicidade

A reposição hormonal tradicional pode não ser bem vista por várias mulheres, além de existirem mulheres que não podem tratar-se com a reposição hormonal clássica, mas hoje existe também a possibilidade de um tratamento com hormônios fitoterápicos, provenientes de plantas, como os fitoestrogênios da isoflavona da soja, que são os mais disseminados hoje em dia. Mas existem muitos outros como a progesterona natural extraída do inhame mexicano, a cimífuga racemosa, o trevo vermelho e a árvore da castidade, todos ótimos para tratar dos sintomas tradicionais da menopausa. Há quem seja contra a terapia com as isoflavonas, pois de acordo com alguns pesquisadores, têm efeitos colaterais, tão ou mais graves do que a terapia hormonal clássica.

E para aquelas naturalistas extremas, ou simplesmente fãs de terapias naturais, experimentem o chá das folhas de amoras. Há vários testemunhos da eficácia deste chá. Ele acalma os calores, acaba com a depressão, possui 22 vezes mais cálcio do que o leite e seus derivados, é ótimo para os rins, fígado, controla a diabetes e a pressão sanguínea.

Publicidade

Estudos feitos pelo Ministério da Saúde do Japão comprovaram sua eficácia e mostraram que as mulheres japonesas passam pela transição do climatério com tranquilidade e levando uma vida com qualidade. Existem as cápsulas de amora que também são ótimas, mas dizem que a eficácia do chá pode ser maior, além de toda a família poder beneficiar-se do mesmo, pois como dito anteriormente, seus benefícios são muito abrangentes.

O importante é passar pela "malvada" menopausa sem maiores traumas, e sair ilesa de suas "garras", pois esta pode ser a melhor fase na vida de uma mulher, com os filhos já crescidos, uma vida mais estável. É hora de aproveitar e não aborrecer-se.