Quantos são os motoristas de carros que, já cansados com a lentidão do tráfego nas avenidas e rodovias das grandes cidades, resolveram optar por usar uma moto?

As vantagens são muitas: agilidade no trânsito, o que pode significar acordar mais tarde, chegar mais cedo ao trabalho e aos compromissos e, ainda por cima, exercer um certo charme e ter a sensação de liberdade. Essa questão de sensação de liberdade aliada à falsa ideia de que, esgueirando-se dentre carros e caminhões, pode-se passar ileso, têm levado muitos jovens a cometerem acidentes graves e, por vezes, perderem a própria vida. O perfil dos motociclistas é o de pessoas entre 18 e 30 anos, que muitas vezes se deslocam nos já ditos "corredores", que é como denominam o vão entre duas filas de veículos, desmedindo as consequências.

Publicidade
Publicidade

Em dez anos, o número de acidentes de trânsito envolvendo motos no Brasil teve um aumento de mais de 260% segundo o Ministério da Saúde. Complicado? Não, assustador! É claro que a frota de motocicletas aumentou muito nesse período, cerca de 300%, e, junto com ela, os índices de lesões graves e morte decorrentes desse tipo de acidente.

No ano de 2011, para se ter uma ideia, com uma frota de cerca de 18.500.000 motos no Brasil, tivemos cerca de 11.300 mortes decorrentes do uso desse veículo, de um total de 42.500 no trânsito em geral. Portanto, do percentual total de acidentes com mortes, cerca de quase 27% envolveram motocicletas.

Na região do Nordeste isso se agrava ainda mais, pois muitas vezes os motoqueiros deixam de usar o equipamento essencial pela falta de fiscalização mais severa.

Publicidade

Em Natal, Rio Grande do Norte, por exemplo, mais da metade dos acidentes de trânsito envolvem motos. 90% das cirurgias ortopédicas feitas em um hospital da região são relacionadas a acidentes com motocicletas.

Segundo especialistas do IOT - Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas, a maior parte das mortes de motoqueiros deve-se à lesões na cabeça, muitas delas decorrentes da falta do uso de capacete.

Quando se busca uma resposta com relação às causas dos acidentes com moto, os especialistas citam a falta de preparo dos motociclistas, bem como dos motoristas de carro. Também são citados como motivos o fato de alguns motociclistas não terem habilitação, não saberem as regras básicas de segurança, a falta de uso de equipamentos, a imprudência, aliados à ausência de políticas adequadas especificamente para a utilização das motos no trânsito do país.

Enfim, há que se estabelecer medidas mais efetivas por parte governamental para a segurança dos motociclistas e uma maior fiscalização, mas também é essencial a prudência dos motociclistas e motoristas em geral, para que esses índices alarmantes de acidentes e mortes venham a diminuir e não façam tantas famílias sofrerem, pois infelizmente não há nada que possa trazer alguém de volta à vida. #Automobilismo