A Esclerose Múltipla atinge milhões de pessoas em todo o mundo. Seus sintomas começam a apresentar-se normalmente entre os 20 e 40 anos, e as mulheres são as mais afetadas pela doença. Estima-se que cerca de 3 mulheres para cada homem venham a sofrer da doença. No geral os primeiros sintomas da Esclerose Múltipla são:

  •  Fadiga
  • Visão turva ou dupla
  • Formigamento
  • Perda de força muscular
  • Falta de equilíbrio

  • Espasmos musculares
  • Dores crônicas
  • Depressão
  • Problemas sexuais
  • Incontinência urinária

O tratamento tradicional desta doença é muito agressivo. O paciente recebe injeções diariamente ou 3 vezes por semana, às vezes semanalmente.

Publicidade
Publicidade

São muitas formas e dosagens, tudo varia de acordo com o médico e com o paciente, mas o certo é que o tratamento com Interferon, Acetato de Glatirâmer, Fingolimode (este é por via oral), Natalizumabe, etc, pode tratar uma coisa e acabar com outras.

Atualmente existe também o tratamento com altas doses de vitamina D. Este tratamento, embora não comprovado cientificamente e ainda muito desacreditado por vários médicos e cientistas, tem dado resultados que deixam muitos doentes animados e ansiosos por recebê-lo.

Recentemente também, para nós ocidentais, pois na China este tratamento já é utilizado há muito tempo, o veneno de abelha vem se mostrando bem eficiente no tratamento da Esclerose Múltipla e também de doenças como a Artrose e a Artrite. De acordo com o acupunturista chinês, Wang Menglin, com clínica em Pequim, trata-se de um método tradicional com efeitos bem reais, sendo eficaz desde o tratamento da Artrose até o do Câncer.

Publicidade

A National Multiple Sclerosis Society, uma organização americana que atua junto a pacientes portadores desta doença, afirma que estudos feitos em pacientes por 24 meses utilizando esta terapia não mostraram nenhuma alteração no quadro evolutivo da doença. Mas o certo é que muitos portadores de Esclerose Múltipla, que se tratam com esta terapia alternativa, têm relatado melhoras significativas na evolução da doença e acreditam plenamente nos resultados.

Pacientes portadores de Artrose e Artrite, assim como doenças degenerativas da coluna, obtiveram melhoras que os levaram a enaltecer este tratamento, pois alguns não levantavam da cama, não conseguiam caminhar, tinham dores terríveis e após o início da terapia com o veneno das abelhas, começaram, segundo eles, a viver. Há muitos relatos circulando pela internet, assim como vários documentários passam na televisão em canais como o Discovery Science, com muitos doentes contando sobre seus milagres particulares com esta terapia.

O periódico American Journal of Chinese Medicine afirma que o uso da apiterapia no tratamento da artrite reumatoide é milenar, e que testes foram feitos em cães, com resultados altamente positivos na qualidade de vida destes animais.

Publicidade

Embora seja uma terapia muito dolorida, por se tratar de picadas de abelhas, e estamos falando de várias picadas por dia, e mais de uma vez por semana, se há possibilidade de melhoras para pacientes acamados, depressivos e sem esperança de voltarem a se movimentar normalmente, vale a pena tentar. O único fator impeditivo seria a alergia à picada de insetos, especificamente de abelhas. Os anos e a globalização têm mostrado que tratamentos alternativos a determinadas doenças em outras partes do mundo, muitas vezes trazem resultados nem sempre explicados pela ciência tradicional, mas os resultados estão lá para quem quiser ver. Então devemos ao menos analisá-los.