As baleias, estas gigantes que já tiveram sua existência ameaçada, vivem hoje um excepcional momento por terem sido revertidas estas funestas expectativas sobre seu futuro na biodiversidade do planeta.
Ambientalistas e a humanidade têm muito a comemorar nesta simples notícia, pois que se não fossem as providências tomadas  em 1986, quando a Comissão Baleeira Internacional proibiu a caça comercial, teríamos menos de mil baleias em nossos mares e não teria sido possível obter os resultados conseguidos até agora. O Instituto Baleia Jubarte, que estuda e protege essa espécie estima que suas rotas migratórias ultrapassem 5 mil quilômetros. E fica na Bahia, em Abrolhos, um dos locais preferidos para acasalamento e reprodução destes #Animais.


Nestas rotas migratórias, as baleias viajam por todos os oceanos mas têm seus lugares preferidos de acordo com as estações do ano, de maneira que quando estão em regiões muito frias dependem de toda sua gordura acumulada para suportar as baixas temperaturas. Mães super-protetoras, as baleias buscam ter suas crias e amamentá-las onde haja melhores condições climáticas e ausência de predadores pela fragilidade que os bebês-baleia ainda apresentam mesmo tendo nascido já com uma tonelada de peso.


O que se sabe é que em todo o século passado as baleias foram caçadas por navios baleeiros até quase a sua extinção,  exigindo providências que só o bom senso e as ações de algumas entidades governamentais não poderiam implementar com tal eficiência.


Entretanto não podemos, de maneira alguma, desprezar e deixar de destacar o imenso trabalho desenvolvido por cientistas, biólogos e ambientalistas no monitoramento, assistência à reprodução e estudos sistemáticos com anilhamento, coleta de sangue e avaliações periódicas da saúde e condições de vida destes animais e principalmente das fêmeas grávidas. Foram 28 anos de intensos esforços para finalmente poder anunciar tão auspiciosa conquista de tirar o maior animal mamífero do planeta da tenebrosa lista de animais ameaçados de extinção. Parabéns baleias, parabéns humanidade!
#Natureza