O primeiro caso de febre chikungunya foi confirmado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais - SES/MG. A paciente é uma mulher de 48 anos que mora na cidade de Matozinhos, Região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Segundo a paciente, os sintomas começaram a se manifestar no dia 27 de agosto. Ela também informou que não havia viajado para nenhuma das regiões endêmicas. A paciente, que se queixava de muitas dores nas articulações, recebeu a visita de uma equipe da Secretaria no dia 10 de outubro. Após a visita, exames realizados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed) confirmaram a febre chikungunya.

A coordenadora do Programa Estadual de Controle da Dengue, Geane Andrade, informou que algumas medidas para conter o avanço do vírus na cidade foram tomadas, como a investigação epidemiológica do caso para avaliar o risco e o controle vetorial com o carro de UBV (fumacê) para reduzir o risco de transmissão para a população.

A SES levantou a possibilidade de que o vírus possa ter chegado à cidade de Matozinhos através de um evento que aconteceu na cidade e atraiu um público diversificado de vários estados, inclusive pessoas da Bahia, onde mais de 30 casos já foram confirmados em Feira de Santana.

Publicidade
Publicidade

A Funed vai analisar amostras de sangue de outras 5 pessoas que apresentaram os sintomas em Belo Horizonte, Contagem, Coronel Fabriciano, Belo Horizonte, Montes Claros e Viçosa.

Entenda a doença

A febre chikungunya já ocorre em outros países da América do Sul e também em países da América Central. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, esse ano houve um surto da doença no Caribe, lugar muito frequentado por turistas brasileiros, que podem ter trazido a doença. Assim como turistas estrangeiros que visitaram Minas podem ter trazido o vírus.

A febre pode ser transmitida pelo Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, e pelo Aedes albopictus, mosquito encontrado normalmente na zona rural.

Sintomas

Os sintomas da doença são inicialmente muito parecidos com os sintomas da dengue, como febre alta, dor muscular e dor de cabeça. Mas essas dores são bem mais fortes e podem persistir por meses ou até anos. Em casos mais graves podem surgir erupções na pele, dor nas articulações e conjuntivite.

Tratamento

Em sua fase aguda, o tratamento é sintomático.

Publicidade

Os sintomas podem ser aliviados com antitérmicos e analgésicos. Manter-se bem hidratado é essencial para ajudar na recuperação.

Como não existe vacina contra a febre chikungunya, o médico Dráuzio Varella explica que medicamentos anti-inflamatórios e fisioterapia são indicados nos casos em que a febre desapareceu, mas as dores nas articulações continuam.

De acordo com Geane Andrade, coordenadora do Programa Estadual de Controle da Dengue, medidas estão sendo tomadas em todo o estado para evitar a proliferação da doença como o reforço do combate ao mosquito nas áreas de risco, o envio de medicamentos para Unidades de Referência e a capacitação de 250 médicos para que eles possam diagnosticar e atender aos pacientes com a febre chikungunya.