Você já ouviu falar em câncer de próstata? Provavelmente sim, pois ele é amplamente divulgado. Porém, muitos homens se recusam a fazer os exames preventivos, como o de toque retal, para prevenir e diagnosticar a doença logo no início. Esse é seu caso? Como as pesquisas continuam, os especialistas descobriram que duas drogas, que já são velhas conhecidas dos médicos, podem ajudar a evitar que o câncer de próstata ocorra, ou seja, foram descobertos medicamentos que previnem o câncer de próstata.

Conheça os medicamentos que previnem o câncer de próstata

Você já ouviu falar sobre a finasterida e a dutasterida - 5 e a reductase inhibitors (5ARIs)? São duas drogas antigas, mas que não eram usadas para a prevenção do câncer.

Publicidade
Publicidade

Porém, estudos recentes mostram que esses medicamentos podem ser eficazes e ajudam a evitar o câncer de próstata.

Essa substâncias atuam alterando os níveis circulantes de andrógeno e/ou inibindo a enzima 5-alfa-redutase. Por isso, são tidas como drogas que podem ajudar a prevenir o desenvolvimento de câncer. Isso acontece por que a testosterona, no organismo humano é convertida em 5-alfa-di-idrotestosterona e essa 5-alfa-di-idrotestosterona controla a mitose das células da próstata, ou seja, controla a divisão e multiplicação celular e provavelmente atua também na formação dos tumores.

O que falam as pesquisas

O Estudo de Prevenção do Câncer de Próstata (Prostate Cancer Prevention Trial - PCPT) foi um dos primeiros a decidir testar essas drogas como preventiva para câncer de próstata e teve resultado positivo quanto ao uso da finasterida.

Publicidade

Os especialistas acompanharam 18.882 pessoas do sexo masculino durante sete anos consecutivos.

Quando essas pessoas completavam 55 anos eram submetidos ao exame digital da próstata (EDP) e PSA e ambos dando normal, eles entravam no estudo. Os participantes foram divididos em grupos e alguns foram tratados com placebo e outros com 5mg/dia de finasterida. Eles foram acompanhados e quando o PSA dava acima de 4,0 ng/mL eram submetidos à biópsia prostática. Ao final do estudo todos os homens foram submetidos à biopsia.

Os resultados foram animadores, pois a prevalência dos indivíduos com câncer de próstata foi 24,8% menor nos que foram tratados com a droga do que os que não foram. Porém, a ocorrência de tumores mais agressivos também foi maior nesse grupo. 


Um relatório emitido pelo JAMA Internal Medicine também alerta que os homens que tomam inibidores da 5?-redutase (5ARIs) possuem menor chance de ter o desenvolvimento de câncer de próstata do que os que não tomam.

Embora os resultados sejam relativamente bons, antes de começar a usar essa droga como preventiva, muito estudo precisa ser feito.

Publicidade

Além disso, mesmo que essas medicações venham a ser disponibilizadas no mercado e receitadas pelo médico, os exames de PSA e de toque retal são de extrema importância para um diagnóstico precoce da doença, o que aumenta as chances de cura. O exame de toque retal não causa dor e dura poucos segundos, ou seja, não há motivo para não ser feito.

O que achou dessa nova descoberta da ciência? Conte pra gente nos comentários! #Terceira Idade