As redes sociais vêm se configurando como terreno fértil para a manifestação de opiniões. Mas, muitas vezes, na ânsia de fazer valer um posicionamento sobre determinado assunto, os interlocutores passam da dose e partem para a agressão. E essas #Eleições têm demonstrado uma face intolerante dos internautas brasileiros. Até amizades vêm se desfazendo por conta da simples discordância de opiniões.

Não é possível ainda mensurar a importância das redes sociais nesta campanha eleitoral. Mas uma das novidades desta eleição é o fato de que a internet tem sido o lugar preferido dos que desejam demonstrar seu ódio aos adversários políticos.

Publicidade
Publicidade

A coragem de se sentir em meio a uma multidão virtual transforma pessoas comuns em aliados nos ferozes ataques, e, no pior cenário, em inimigos mortais.

Dados da Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos dão conta de que as discussões sobre eleições revelaram um aumento de 84% nas denúncias de crime de ódio na internet.

De acordo com o filósofo Renato Janine Ribeiro, professor de Ética e Filosofia Política da Universidade de São Paulo, as pessoas têm à disposição um instrumento para o qual ainda não estão preparadas. As redes sociais deram voz a uma multidão que não tinha voz. Mas quem recebeu esse direito à palavra faz uso questionável dele. O nível do debate é baixo, o nível da educação é baixo, tanto no Brasil quanto no resto do mundo.

Para ele, a intolerância cresceu assustadoramente no Brasil, principalmente em relação às convicções políticas.

Publicidade

Isso se deu especialmente após o estabelecimento da divisão PT - PSDB no cenário político nacional. O PT bateu muito nos tucanos durante o governo Fernando Henrique, acusando-os de corruptos o tempo todo. Quando os petistas chegaram ao poder, o PSDB repetiu a proeza.

O resultado, hoje, é um clima de ódio que vai muito além das pessoas diretamente envolvidas na política. O grau de intolerância chega a atingir o patamar do racismo e do elitismo. E é preciso separar a discordância da intolerância.

Uma coisa faz-se necessária para que se alcance o mínimo de civilidade nas redes sociais ao expressarmos nossas posições políticas. A defesa, ou o ataque a(o) adversário(a), devem ser baseados em argumentos concretos e não puramente na emoção. Não devemos ter medo de expressar nosso pensamento, qualquer que seja ele, mas não precisamos perder amigos para fazer nossa #Opinião valer.