Os paulistanos estão sofrendo com a falta  d´água há mais de 30 dias. Segundo estudos publicados pela DataFolha, mais de 60% de moradores da cidade de São Paulo ficaram sem água neste último mês. Uma em cada cinco cidades do estado de São Paulo não abastecidas pela SABESP, já praticam o racionamento de água.

Nos últimos dias ocorreram pancadas de chuvas no estado, mas a situação ainda é alarmante. Um exemplo é o sistema Cantareira, que abastece a região metropolitana de São Paulo e parte do interior paulista, que recebeu alguns milímetros de água mas seu nível continua em queda atingindo, na data de hoje, apenas 3,5% da capacidade total.

Publicidade
Publicidade

A previsão do tempo do Instituto Nacional de Meteorologia, o Inmet, é que chova entre esta segunda e o próximo sábado (25) sobre a cidade de São Paulo. Outubro é um mês que inicia o período de chuva, as chamadas chuvas de primavera e se espera que ainda ocorram chuvas até findar o mês, para que eleve os níveis dos reservatórios.

No interior paulista, os reservatórios municipais estão com níveis muito baixos e a previsão de chuva, mesmo que ocorra dentro dos próximos dias, não atenderá a demanda por água. Segundo estudos, atualmente 54 municípios do interior efetuam racionamento de água. Cidades interioranas apresentam reservatórios com as margens secas, terra rachada, mortandade de peixes em alguns lagos e rios, como no caso de Araras e Pirassununga.

A seca e a falta d´água acarretam sérios problemas ambientais e de saúde, afetando a fauna de vários rios e lagos, o ar seco e o clima quente causando doenças principalmente para crianças e idosos.

Publicidade

Problemas respiratórios estão sendo diagnosticados com maior frequência em algumas cidades, observa-se aumento das queimadas, até mesmo a ilegal queimada da cana-de-açúcar o que agrava ainda mais a qualidade do ar.

Portanto, a alternativa é continuar a economizar, reutilizar as águas de lavagens de roupas, reduzir o tempo gasto no banho e não lavar os carros. Até que as chuvas ocorram e melhorem os índices de água disponível para abastecimento.