A população americana está num clima de crescente ansiedade e pânico, desde que novos casos de #Ebola foram divulgados nos EUA.

Foram reportados os casos de duas enfermeiras americanas que trabalhavam em Dallas, no Hospital Presbiteriano, no estado do Texas, região sudoeste dos EUA. Elas cuidaram de Thomas Duncan, um liberiano que faleceu devido ao Ebola no último 08 de outubro.

Uma das enfermeiras, Nina Pham, contaminou-se com o vírus. Ela está sendo tratada em um hospital especializado em Maryland, no nordeste do país. Embora esteja em estado considerado satisfatório, o Sr. Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas alegou que ela encontra-se exausta, pois esse vírus realmente deixa o paciente exaurido.

Publicidade
Publicidade

O governo americano também tem feito buscas a fim de contactar os passageiros de avião que viajaram com a outra enfermeira, Amber Vinson, num voo de Texas para Ohio, poucos dias antes de saber que ela estava com o vírus Ebola. Porém, Amber não teve nenhum sintoma da doença a não ser uma febre baixa.

Até o momento, estão sendo localizados cerca de 750 passageiros que estiveram em cinco viagens a título de prevenção, pois as autoridades americanas consideram que há um baixo risco de transmissão da doença.

Como o pânico está assustando os americanos, houve um caso de uma mulher que vomitou em frente a um prédio, o que fez com que o Pentágono isolasse a área, pois havia um boato de que essa mulher teria voltado da África recentemente. A empresa para a qual ela trabalha afirmou categoricamente que ela nunca foi à África.

Publicidade

Essa mulher pediu para não ter sua identidade revelada.

A funcionária de saúde que manipulou as amostras de Thomas Duncan, o liberiano que morreu em 8 de outubro, decidiu isolar-se em um transatlântico no Caribe provavelmente até domingo próximo, porém essa moça não apresenta nenhum sintoma da doença.

Diante desse estado de medo, o presidente Obama escolheu o Sr. Ron Klain como coordenador da resposta dos EUA à epidemia do vírus Ebola. Klain é um membro veterano do governo, atualmente presidente da Case Holdings, empresa que foi fundada por Steve Case, da AOL e também já foi assessor de Al Gore e do próprio Obama.

Klain afirmou que fará os esforços necessários para proteger os americanos, detectando, isolando e tratando possíveis pacientes, porém ressaltou que o foco principal é deter o Ebola em sua origem, na África.

Embora Klain não seja especialista em medicina, o que tem gerado controvérsia com relação à escolha dele por parte do presidente americano, o porta-voz do governo, Josh Earnest, afirmou que eles não estavam procurando um especialista na doença, mas sim um especialista em implementação.

Um outro membro do governo afirmou que se há alguém capaz de manter algo sob controle em um curto período de tempo, esse alguém é Ron Klain.