Os deficientes visuais possuem várias dificuldades de locomoção.São muitos os obstáculos nas ruas e locais públicos. Muitos necessitam de cães guias, que são caros para serem adquiridos e por esse motivo poucos os possuem; alguns fazem uso das bengalas que limitam vários acessos e proporcionam pouco conhecimento do trajeto, o que acarreta perigos.

Pensando em facilitar a vida das pessoas com deficiência visual, 3 jovens estudantes de São Luis do Maranhão começaram a pensar em alternativas de transporte mais acessíveis para atender esse público e iniciaram um projeto inovador.

Os jovens dedicaram um ano de muitos estudos e desenvolvimento do projeto de uma bicicleta com sensores que facilita o transporte de deficientes visuais.

Publicidade
Publicidade

A bicicleta é um modelo simples que possui sensores de proximidade na dianteira, nas laterais e na traseira. Esses sensores detectam movimentos e obstáculos a mais de 3 metros de distância e emitem alarmes sonoros que alertam o ciclista.

O protótipo ainda está em fase de testes. Os primeiros testes foram executados pelos próprios estudantes projetistas, mas chamou a atenção de muitos, inclusive dos professores, da comunidade e de alguns deficientes visuais que quiseram treinar e aprender a utilizá-la. Os treinos com os deficientes voluntários terão a duração de 3 meses para total adaptação da bicicleta e da apropriada locomoção para melhor atende-los.

Segundo os estudantes, a intenção é utilizar a tecnologia para o bem dos necessitados e com um custo baixo: para desenvolver o projeto o custo total foi de apenas R$150,00.

Publicidade

Relatam os jovens criadores que o objetivo maior vai muito além do uso de tecnologias, mas sim utilizá-las para uma ação social e promover ajuda a muitos cidadãos.

A bicicleta ainda é um protótipo, mas sem dúvida é uma luz de esperança para essas pessoas que possuem poucas formas de locomoção, descobertas, aventuras e lazer.

A disposição e iniciativa dos estudantes se fazem notáveis, um invento válido e inovador, o qual demonstra o quanto a #Educação pode colaborar e construir novas saídas para problemas sociais, inclusivos e de acessibilidade. #Inovação