Há 25 anos vinha abaixo o símbolo da guerra fria que dividia em duas, uma mesma cidade: uma - oriental, outra - ocidental. O Muro de Berlim foi derrubado por moradores de ambos os lados e que, movidos por ideais de igualdade e munidos de martelos, picaretas e vontade de desafiar o avanço desenfreado do capitalismo norte americano, agiram, confrontando o que chegou a ser considerado predestinação. A cortina de ferro veio abaixo no dia 09 de novembro de 1989, unindo novamente os dois lados, arbitrariamente separados, causando o desgaste e sofrimento de um povo. Inúmeras comemorações estão sendo preparadas para deixar registrado o desejo de igualdade e liberdade, sonho que, até os dias de hoje, vem sendo perseguido por todos, mesmo sob a terrível ameaça de novas guerras, sob diferentes e inúmeras formas.

Publicidade
Publicidade

A divisão da Alemanha se deu logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945. Berlim ficava no lado oriental, que estava sob o comando da antiga União Soviética, e foi subdividida entre outros países que eram potências ocidentais: França, Inglaterra e Estados Unidos, além da própria URSS (hoje, extinta). Berlim ficava totalmente do lado dominado pelos soviéticos e, por isso, deixava ilhada a parte ocidental, sem ligação com o restante da Alemanha.

O muro, que começou a ser levantado em 1961, permitia, durante o período de construção um livre fluxo entre os dois lados, o que levou milhares de berlinenses orientais, que viviam sob o regime comunista, a migrarem para o lado ocidental, que era atrativo, capitalista, cheio de possíveis oportunidades (ilusórias) de crescimento econômico.

Publicidade

Aos 12 de agosto de 1961, soldados comandados por Nikita Kruschev (líder do Partido Comunista Soviético) e por Walter Ulbricth (líder da Alemanha Oriental), começaram a erguer o muro, que cercava as cidades e sufocava vidas, obedientes ao regime ditatorial.

O muro levou cerca de dois anos para ficar pronto, com extensão de 155 quilômetros e 3 metros de altura. Durante o tempo em que o muro separou a cidade, mais de 100 pessoas morreram, tentando atravessá-lo, vítimas dos soldados soviéticos, que faziam a guarda. Em 1989, a Guerra Fria havia perdido quase toda sua força, e cidadãos com machados (curioso) nas mãos derrubaram o que separava um mesmo país, em dois lados opostos, aprisionados por seus medos, crenças e (in)certezas.

Hoje, dia 09 de novembro de 2014, os alemães irão comemorar a queda da chamada Cortina de Ferro, ocupando o espaço onde ficava o muro com 8 mil balões, numa linha que demonstra não mais a separação de um povo, mas a vitória da união e da liberdade. #Educação