Cinco dos seis reservatórios de abastecimento do estado de São Paulo apresentaram acréscimos em seus níveis de água nos últimos dois dias. As chuvas dos últimos dias colaboraram para que alguns reservatórios pudessem apresentar uma recuperação nos níveis que estavam em queda a mais de 200 dias.

Segundo a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) as precipitações que ocorreram nos últimos dois dias (25 e 26) conseguiram elevar os níveis das represas: Alto do Tietê que estava em 5,8% para 5,9%, Guarapiranga de 33,4% para 33,8, Alto Cotia de 29,1% para 30%, Rio Grande de 63,8% para 64% e Rio Claro de 30,3% para 30,5%.

Publicidade
Publicidade

Mas o maior sistema de abastecimento Cantareira continua apresentando queda. Na medição realizada nessa quinta-feira (27), apresentou baixa de 0,1 ponto percentual, caindo de 9,2% para 9,1%. Mesmo as chuvas de terça e quarta-feira somando 32,3 milímetros, não foram suficientes para impedir queda desse sistema. A situação ainda é preocupante, pois o sistema Cantareira é responsável pelo maior número de consumidores de água da capital e região metropolitana de São Paulo.

Já são 225 dias que o sistema Cantareira não apresenta recuperação dos níveis de água e está em constante baixa. Segundo levantamentos, nesse mês de novembro o sistema já recebeu 134,9 milímetros, valor maior que a soma de agosto, setembro e outubro passados, que totalizam 131, 2 milímetros, mas ainda assim continua em queda dia após dia.

Publicidade

Para que ocorra uma alta no sistema Cantareira é necessário que ocorram chuvas nos próximos dias e que atinjam as represas que compõem o sistema. O nível atual de 9,1% já está sendo contabilizado e utilizado da segunda reserva técnica, visto que o volume útil e volume morto já foram utilizados.

A reserva técnica é o volume de água que está abaixo dos níveis mínimos de captação de água nas represas do sistema. A captação desse volume de água é realizada mediante bombas flutuantes que transferem a água para pontos em que possa ser captada e distribuída.

A crise hídrica infelizmente continua em São Paulo. Para que ocorram melhoras significativas, as chuvas precisam ser contínuas. Segundo meteorologistas, as chuvas continuam até o final dessa semana, mas vai perdendo intensidade, podendo retornar com maior força na próxima semana.