Na noite de quarta feira (05/11/2014) ocorreu na Avenida Paulista um protesto contra a falta d'água em São Paulo. Os manifestantes iniciaram o protesto em frente ao Museu de Arte de São Paulo (MASP), se deslocaram ocupando parte da Avenida Consolação e percorreram as ruas em passeata munidos de faixas e cartazes em mãos rumo ao Centro.

Em frente ao reservatório da Companhia de Saneamento Básico de São Paulo (SABESP) foi realizada a parada e tiveram início as primeiras manifestações contra a empresa com o estender de uma faixa em frente ao prédio. O protesto passou ainda pela Avenida Ipiranga e pela Rua Barão de Itapetininga.

Publicidade
Publicidade

Ao chegarem à Praça Ramos de Azevedo, onde está localizado o Theatro Municipal, houve um início de tumulto. A PM não divulgou qual foi o motivo da confusão, porém três rapazes foram abordados pela PM e após sua detenção os policiais estavam com garrafas de álcool que eram transportadas pelos três manifestantes.

O protesto, além da manifestação contra falta d'água, contou com críticas ao governador reeleito Geraldo Alckimin (PSDB) e também contra o Partido dos Trabalhadores (PT). O grupo era liderado pelos mascarados e possuía bandeiras de movimentos anarquistas e do PCB.

Em ironia alguns manifestantes usavam o guarda-chuva invertido alegando ser para captar água das chuvas e ainda exigiam medidas para que São Paulo não passasse mais por esta situação. Diziam ainda todos a uma só voz "Parece brincadeira, não tem água na torneira".

Publicidade

Os cartazes dos manifestantes eram contra a Sabesp.

Após deterem os três manifestantes, os colocaram em carro da polícia e os levaram ao 2º Distrito Policial (DP). A manifestação durou cerca de 2 horas tendo encerrado por volta das 21:30. Esta manifestação ocorreu após ato convocado através da rede social Facebook e contava com 5,5 mil confirmações de participação no protesto.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informou que deveriam estar presentes cerca de 100 protestantes e centenas de policiais militares, da tropa criada para atuar em manifestações, os acompanharam até o término do protesto. Segundo convocações realizadas pela internet, devem ocorrer novos atos dia 15/11/2014.