Nessa terça-feira foi divulgado, pelo Ministério da Saúde, que o mosquito Aedes Aegypti - responsável pela transmissão da Dengue e da Febre Chikungunya - representa grandes riscos em 117 municípios do país. Os dados coletados foram apresentados no lançamento oficial da Campanha Nacional de Prevenção da Dengue e Febre Chikungunya, realizada em Brasília, no Distrito Federal.

A pesquisa, reconhecida oficialmente como Levantamento Rápido do Índice de Infestação de Aedes Aegypti, foi realizada durante o mês de outubro de 2014, em 1.463 cidades. O principal intuito do levantamento é detectar quais regiões do país são mais propensas às doenças transmitidas pelo mosquito, visando otimizar e intensificar o controle de focos e disseminação de informações relativas às doenças, tanto a Dengue quanto a Febre Chikungunya.

Casos de Dengue e Febre Chikungunya Merecem Atenção

Até o dia 25 de outubro, já era de 824 o número de casos de Febre Chikungunya diagnosticados no país. Sobre a dengue, somente no ano de 2014, foram pontuados 556.317 ocorrências.

Os resultados apontaram que 533 cidades brasileiras encontram-se em situação de alerta - em cada 100 casas, de 1 a 3 estão com larvas do mosquito - e 813 cidades em estado satisfatório - em cada 100 casas, foram encontradas larvas em menos de 1.

Concluindo o estudo, foi divulgado que em cada 100 casas brasileiras, 4 apresentaram focos do mosquito Aedes Aegypti. Desse número, a maior parte está concentrada na região nordeste: de 727 municípios pesquisados, em 96 foram encontradas larvas do mosquito.

Apesar de altas, as ocorrências demonstraram uma redução, quando comparadas aos números apresentados em 2013. Nesse ano, por sinal, foram 159 municípios classificados em situação de risco e 539  municípios em estado de alerta.

Entre as 533 cidades afetadas pelos focos, destacam-se 10 capitais, sendo estas: Belém (PA), Porto Velho (RO), Maceió (AL), Natal (RN), Recife (PE), São Luis (MA), Aracaju (SE), Vitória (ES), Cuiabá (MT) e Porto Alegre (RS).