Pesquisadores têm repetidamente observado focas antárticas tentando se envolver em atividade sexual. O que os preocupa é o fato desses #Animais se encontrarem a estuprar os pinguins.

A prova de atividade inter-espécies é bastante rara. Recentemente, pesquisadores de vida selvagem testemunharam focas antárticas tentando se envolver em atividade sexual com pinguins-reais.

No ano de 2006, foi documentado pela primeira vez uma foca-marinha tentando copular com um pinguim-real em Marion Island, na África do Sul. Cientistas publicaram detalhes desse incidente, especulando que poderia ser comportamento de uma foca-marinha inexperiente, sexualmente frustrada ou tentando marcar território.

Publicidade
Publicidade

Sendo as focas de tamanho muito superior ao dos pinguins, estes não têm como se defender. Segundo os cientistas que observaram este incidente os pinguins tentavam reagir como se as focas estivessem tentando matá-los, acabando por desistir.

As focas, antes da copulação perseguem os pinguins e montam neles, de forma a que não consigam escapar. Foram registados vídeos pelos cientistas que demonstram este comportamento.

O ato sexual tem a duração de cinco minutos. Segundo os cientistas, a penetração deverá ser bastante dolorosa para o pinguim já que estes são aves, enquanto as focas, mamíferos. Apesar do incidente parecer bizarro, foram documentados em mais do que uma ocasião os mesmos comportamentos.

Os investigadores William A. Haddad e De Bruyn observaram jovens focas a coagir sexualmente pinguins saudáveis, não sendo possível determinar o gênero dos pinguins, restando assim a dúvida se as focas poderão ser uma espécie homossexual.

Publicidade

Recentes observações sugerem que este poderá ser um comportamento aprendido, o que preocupa os cientistas. Tal como explicado por De Bruyn, do Instituto de Pesquisa de Mamíferos na Universidade de Pretoria (África do Sul), as focas têm capacidade de aprendizagem. Assim, se focas do sexo masculino observam outras a coagir os pinguins-reais, elas irão fazer o mesmo.

Esta poderá ser uma explicação para o aumento de incidentes observados nas ilhas Marion, casa destas duas espécies. Para os cientistas será pouco provável que a foca-marinha tenha identificado erroneamente o pinguim como uma foca-marinha do sexo feminino. Em três das quatro gravações, após o incidente a foca-marinha deixou o pinguim. Mas em uma das ocasiões, mais recentemente, a foca-marinha matou e comeu o pinguim após ter tentado copular com o mesmo.

Mais pesquisas são necessárias de forma a perceber o que se estará passando no Reino Animal. #Natureza