Determinados movimentos de luta pelos direitos de minorias que de certo modo sofrem preconceito, seja por suas escolhas ou pela cor de sua pele, vem travando uma batalha de amor e ódio contra o atual #Governo petista. O MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), engrossar o corro, da parcela que espera de Dilma Rousseff (PT), resolva o problema da falta de moradia, além da luta pelos direitos humanos, a violência crescente em nosso país, defesa do meio ambiente e apoio as minorias.

O voto em Dilma não foi um sinal total de aliança política ao seu governo. Segundo a BBC BRASIL, quase nada foi feito em quatro anos em prol do crescimento econômico e social no Brasil.

Publicidade
Publicidade

Pelo menos não de forma ostensiva. É de extrema importância levar-se em consideração a reforma política, a fim de diminuir a corrupção e o poder financeiro das campainhas dos presidenciáveis, focando nas propostas eleitorais, mantendo a transparência e a participação popular.

Por exemplo: a reforma tributária para acabar com os juros e impostos altíssimos que o nosso país tem; garantir os direitos gays com o casamento; os transgêneros, e principalmente os negros e os índios que são os verdadeiros brasileiros, pois quando chegaram o portugueses ao nosso país, eles já estavam aqui!

"O governo dela foi o que mais prejudicou a natureza, o povo indígena. Na gestão dela morreram mais índios do que em outras. Muitos perderam suas terras na gestão dela. Na Amazônia teve desmatamento ilegal, muito, ela não fez quase nada.

Publicidade

Belo Monte é obra prejudicial ao meio ambiente."

Os movimentos brasileiros que lutam pelos seus direitos usurpados não negam as críticas ao governo atual. Quando resolveram apoiar Dilma no segundo turno, foi pelas ideias neo-liberalistas radicais, repousa aos pobres demonstrados no governo anterior de FHC (Fernando Henrique Cardoso), que compartilha das ideias do candidato Aécio Neves, que nunca negaram que vão cobrar de forma ferreirinha os seus direitos e propostas ditas durante as eleições. Mantendo uma oposição de esquerda justa!