TEERÃ - Um dia depois do prazo para a conclusão de um acordo nuclear que foi prorrogado pra daqui a sete meses, o líder iraniano aiatolá Ali Khamenei, proferiu suas primeiras declarações sobre as negociações, dizendo que o Ocidente não conseguiu fazer com que o Irã ficasse de joelhos.

Diplomatas aguardavam para ontem, 24 de novembro, prazo original que foi estipulado para que se chegassem a um acordo, porém não ocorreu assim. Nesse mesmo dia, sem chegar a nenhum acordo favorável, o prazo foi prorrogado para 30 de junho de 2015.

Em uma reunião nesta terça-feira (24), com os clérigos muçulmanos em Teerã, a capital iraniana, Khamenei rejeitou a pressão diplomática e econômica que as potências mundiais têm exercido sobre o seu país sobre suas ambições nucleares.

"Na questão nuclear, América e os países europeus se reuniram e fizeram o seu melhor para fazer a República Islâmica ficar aos seus pés, mas eles não são e nem serão capazes de fazê-lo", afirmou pelo site pessoal o Sr. Khamenei.

Khamenei tem a palavra final em todas as questões políticas importantes no Irã, incluindo seu programa nuclear. Seus comentários sugeriram que ele iria continuar a apoiar as negociações, mas permaneceu cético que se renderia um acordo satisfatório.

Grandes potências como Grã-Bretanha, China, França, Alemanha, Rússia e Estados Unidos vieram em uma tentativa de negociar com o Irã sobre a questão nuclear por um ano. Acredita-se que o Irã está construindo e desenvolvendo armas nucleares. Embora Teerã negue essa afirmação argumentando que seu programa é estritamente para fins pacíficos.

No Parlamento iraniano, os legisladores com suas costumeiras declarações de 'Morte à América' depois de um legislador comentar sobre o prazo prorrogado, falou de sabotar os esforços dos EUA pela sua desconfiança em relação ao Irã.

O vice-presidente do Parlamento iraniano, Mohammad Hassan Abutorabi-Fard, disse que o Irã tinha aprendido com as negociações nucleares que tinha uma mão forte para jogar. "Hoje, podemos falar com os EUA e seus aliados na mesma altura", disse ele em declarações citadas pela agência de notícias Fars. "A lição pode ser tomada a partir das recentes conversações nucleares que, por várias razões, os EUA não são confiáveis."

Em uma série de posts em uma conta no Twitter, usado por seu escritório, o Sr. Khamenei acusou o Ocidente de interferir no Oriente Médio usando grupos militantes sunitas para frustrar os ataques da Primavera Árabe, com brigas internas intra-muçulmana, em consonância com as suas metas arrogantes. As autoridades iranianas frequentemente usam o termo 'potências arrogantes' como abreviação para os Estados Unidos e seus aliados.