Dois eventos prometem discutir gênero na capital fluminense, sempre com bom humor e conscientização. Neste domingo (16/11) acontecerá na Avenida Atlântica, na orla de Copacabana, a 19ª Parada do Orgulho LGBT, que espera contar com cerca de 1 milhão de pessoas e discutir, além da discriminação, ações preventivas na área da Saúde e promoção de direitos. Em Ipanema, a expectativa é de 100 participantes. A 19ª Parada do Orgulho LGBT, que acaba tendo um ar de festa multicolorida, contará com diversos trios elétricos, que prometem inundar Copacabana com muita animação. A partir das 9h haverá o atendimento em postos de Cidadania, Saúde e Serviços ao longo de toda a avenida.

Publicidade
Publicidade

A concentração será às 13h, no Ponto 5, saindo a Parada às 15h, em direção ao Leme.

Para o superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos e coordenador do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, Cláudio Nascimento, é importante o poder de mobilização que o evento tem perante a comunidade LGBT e ressalta as iniciativas promovidas pelo governo estadual para a garantia da cidadania de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais.

"A Parada do Orgulho LGBT do Rio de Janeiro é um momento muito importante para reforçar a presença e atuação do governo do estado na promoção dos direitos dos LGBTs. Durante essa grande manifestação também reforçaremos mais uma relevante conquista, que é a realização da 5ª Cerimônia Coletiva de Casamento Civil Homoafetivo do estado, onde 160 casais homossexuais vão selar sua união no dia 23 de novembro no Armazém Utopia" - ressaltou Nascimento.

Publicidade

Por sua parte, a tradicional Confraria do Garoto, símbolo da irreverência carioca, está programando para o dia 30, na orla de Ipanema, a Pequena Grande Parada do Orgulho Hétero, que espera contar com, pelo menos, 100 pessoas. Para os organizadores, antes de ser um evento discriminatório, trata-se de uma brincadeira com a presença cada vez maior dos grupos LGBTs em novelas e grandes eventos.

Diversão à parte, o mais importante é a discussão de direitos, a preservação do cidadão, independente de cor, credo ou orientação sexual. Atitudes que venham a estimular animosidades devem ser banidas e todos, juntos, devem construir um futuro melhor e mais justo para todos. Sem exceções.