A água é um bem precioso e fundamental para nossa existência, mas infelizmente a maioria da população não põe atenção na crise que estamos enfrentando, e ainda há muito desperdício. A cada ano que passa, estamos observando a redução do armazenamento de água nos reservatórios, principalmente nas grandes cidades, visto que esse ano chegamos no limite de consumo em várias regiões.

O Estado de São Paulo esse ano está sofrendo uma seca histórica, chegando a consumir quase que a totalidade do volume morto de seus reservatórios de água. Com essa situação e a incerteza de abastecimento para o próximo ano de 2015, a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp), autorizou o reajuste da tarifa da água.

Publicidade
Publicidade

Esse reajuste já era para ter ocorrido em meados de abril desse mesmo ano, quando foi autorizado. O #Governo do estado avaliou que o momento não era propício e definiu que o reajuste ocorreria até dezembro de 2014.

O percentual de ajuste autorizado pela Arsesp na época foi de 5,4%. Esse valor foi questionado pela diretoria da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), e após reavaliação pela agência, esse índice foi recalculado e foi incorporada a inflação acumulada durante esse período no qual foi suspenso o reajuste, que segundo o IPCA foi de aproximadamente 3%.

Diante dessa situação, a Sabesp em comunicado aos seus acionistas nessa quinta feira (27), informou que o índice de reajuste na conta de água será de 6,495%. Ela também divulgou que as tabelas com as tarifas estarão disponíveis no site da Sabesp nessa mesma data.

Publicidade

Segundo a Arsesp, o reajuste foi aplicado para assegurar o equilíbrio econômico-financeiro da empresa, visto que com a redução dos recursos hídricos e com as medidas adotadas para diminuir o consumo de água para garantir o abastecimento da população, a empresa começou a oferecer a partir de fevereiro de 2014 um bônus de 30% na conta para os clientes que economizassem 20% ou mais de água. Essa medida levou a Sabesp a uma queda nos seus lucros de 81%, se comparado ao mesmo período de 2013.

O Secretário de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo, Mauro Arce, já anunciou no início do mês que o Governo do Estado tem um projeto em estudo para lançar um programa onde será aplicada uma taxa para os clientes que aumentarem seu consumo de água.

Fiquem atentos ao desperdício de água, viveremos melhor se todos fizerem a sua parte.