O vinagre é um poderoso aliado no combate aos criadouros de dengue. Em 2006, depois de uma série de pesquisas realizadas em todo o país, o Ministério da Saúde finalmente incorporou o vinagre na rotina do plano Nacional de Combate à Dengue, uma metodologia alternativa no controle ao Aedes Aegypti. O engenheiro agrônomo Reinaldo José Rodella e sua equipe foram os realizadores de uma das pesquisas que definiram o vinagre como um aliado importante no combate às larvas do mosquito da dengue. Usando o vinagre diluído em água, em concentrações variadas, com o objetivo de testar o efeito do ácido acético, que está presente no vinagre, sobre as larvas do mosquito, Rodella e sua equipe concluíram que a partir de 5% de vinagre na água, todas as concentrações testadas foram letais para as larvas, concluindo ainda um efeito residual de oito dias.

Publicidade
Publicidade

A receita do "aliado"

Rondella resume como se pode acabar com as larvas do mosquito da dengue: com uma colher de vinagre misturada na água, depositada em vasos, panelas, pneus, garrafas ou outros locais onde haja a possibilidade de proliferação das larvas, em três ou quatro horas, provoca a erradicação completa das larvas existentes nestes locais. Reinaldo J. Rodella esclarece também que o vinagre, além de ser um produto de baixíssimo custo (no mercado em embalagens de 750 ml pode ser encontrado com preço bem acessível em torno de R$ 1 a R$ 2), não tem nenhuma contra indicação para a saúde ou para o meio ambiente.

Uma boa maneira também de aplicar esta receita é no tratamento de piscinas que ainda estão em construção e que não foram cheias, por acabarem acumulando muita água da chuva e, com isso, o risco de se transformarem em criadouros das larvas do mosquito da dengue é maior.

Publicidade

Neste, como em muitos outros casos semelhantes, o vinagre realmente tem uma extrema eficiência no combate.

Observação:

Não existe tratamento específico para dengue, apenas tratamentos que aliviam os sintomas. Deve-se ingerir muito líquido, como água, sucos, chás, soros caseiros, etc. Os sintomas podem ser tratados com dipirona ou paracetamol. Não devem ser usados medicamentos à base de ácido acetil salicílico e anti-inflamatórios, como aspirina e AAS, pois podem aumentar o risco de hemorragias. Por isso a melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos de acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, vasinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas de água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.