Até há pouco tempo, no Brasil, ir para o exterior com o objetivo de estudar era prerrogativa de quem possuía excelentes condições financeiras para esse luxo. Os pais se programavam por muito tempo para que seus filhos estudassem em universidades renomadas fora do País, conhecessem novas culturas e aprendessem um novo idioma. Esse cenário mudou e, graças ao programa Ciência sem Fronteiras, os benefícios passaram a ser factíveis para qualquer um, desde que atenda aos requisitos estabelecidos em edital.

Um Mundo de Oportunidades

O programa Ciência sem Fronteiras foi criado em 2011 pelo Governo e busca incentivar a formação acadêmica, promovendo o intercâmbio da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira, promovido pelos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da #Educação (MEC), através do CNPq e Capes, bem como das Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC. Está prevista a concessão de até 101 mil bolsas até o ano de 2015.

Para as oportunidades em 2015, 3 editais estão no radar: o primeiro, já em andamento, com inscrições ocorrendo até 19 de dezembro de 2014 e resultado previsto para até 15 de abril de 2015; o segundo com inscrições até 23 de abril de 2015 e resultado previsto até 14 de agosto de 2015 e o último, com inscrições até 21 de agosto de 2015 e resultado previsto até 15 de dezembro de 2015.

Publicidade
Publicidade

Os interessados devem acessar o site cienciasemfronteiras.gov que contém todas as informações necessárias. Para o brasileiro ou naturalizado, o programa oferece bolsas desde o curso de graduação até pós-doutorado. Um dos requisitos importantes é selecionar um professor orientador da instituição desejada, no exterior. Os Países que mais recebem bolsistas são os Estados Unidos, Reino Unido e França. Existe também o interesse do Governo em trazer estrangeiros ou pesquisadores visitantes especiais e atrair novos talentos.

No sentido de atender às demandas desse programa, surgiu também o programa idiomas sem fronteiras, que propicia o aprendizado do idioma, inicialmente inglês ou francês e cujas informações detalhadas podem ser encontradas no site isf.mec.gov

Segundo pesquisa realizada pela empresa de consultoria de carreiras, Produtive, ser detentor de um mestrado ou doutorado pode viabilizar cerca de 48% de ganho salarial comparado com quem faz uma pós-graduação do tipo lato sensu e mais que o dobro se comparado com quem tem apenas diploma de curso superior.

Publicidade

O programa ciência sem fronteiras abrange até o núcleo familiar, contemplando, no auxílio financeiro, os dependentes (filhos ou cônjuge). Vale a pena avaliar. Está ao alcance uma grande chance para quem sempre sonhou com a experiência e nunca teve condições de experimentar. #Seleção de Futebol