A Gerente da Petrobras, Graça Foster, diz que esteve pessoalmente com a ex-gerente da estatal, Venina Velosa, e que recebeu mensagens, algumas delas parabenizando pelo seu aniversário e quando tomou posse na Petrobras, mas que em nenhum momento ela mencionou algo sobre corrupção, fraude, cartel ou conluio.

   Graça Foster destaca também, que quando se manda e-mails tão importantes, se deve ter a preocupação de telefonar, mandar  anexos e até mesmo procurar a chefe de gabinete para se ter a certeza que suas denúncias foram recebidas, e que nada disso aconteceu.

   Essas polêmicas se dá por motivos de um esquema de corrupção descoberto, em março, pela operação Lava Jato, que começou com uma investigação sobre lavagem de dinheiro e evasão de divisas que teria movimentado cerca de R$10 bilhões.

Publicidade
Publicidade

Durante as investigações foi preso o doleiro Alberto Youssef, apontado como chefe do esquema, daí, com o prêmio de delação, veio à tona nomes de várias outras pessoas, dentre eles políticos e funcionários de grandes empreiteiras que mantêm contrato com a Petrobras em um valor total de R$59 bilhões e outros.

   A ex-gerente da estatal Venina Velosa da Fonseca, afirma que denunciou esse esquema antes da Operação Lava Jato, através de e-mails mandados para a presidente da Petrobras, Graça Foster, e que após essas denúncias , perdeu seu cargo e que foi vítima de ameaças junto com sua filha. 

   A Presidente da Petrobras, Graça Foster, nega as declarações da ex-gerente e fala que durante as vezes que esteve com a mesma nunca se falou sobre corrupção.

   Esse grande esquema que envolve corrupções na Petrobras, segundo a Polícia Federal e o Ministério Público, começa nas diretorias da Petrobras, passa para as empresas fornecedoras, que fraudam contratos e distribuem a dinheirama entre partidos políticos e executivos.Agora é investigar quem fala a verdade, quem sabe de algo, parece que à uma amnésia coletiva, quem vai para cadeia, que é quase impossível, devido a delação premiada, e o principal, quem vai pagar as contas, além dos cidadãos brasileiros ?