A presidente Dilma Rousseff fará nesta terça-feira (27) a primeira reunião do seu segundo mandato com ministros. O cenário para a reunião, no entanto, é muito diferente daquele realizado em 2011, seu primeiro mandato, quando o cenário do país era otimista. Quatro anos depois, Dilma começa seu segundo mandato com anúncios de medidas impopulares e problemas decorrentes de uma crise hídrica que atinge diversos estados brasileiros.

Com os 39 ministros, a presidente irá discutir sobre contas e enfatizará um recado para os subordinados pararem de gastar e agirem mais. O local da reunião também será diferente, pois ao invés de ser realizada no Salão Oval do Planalto, será na Residência Oficial da Granja do Torto.

Publicidade
Publicidade

O local, que é mais reservado, foi usado para reuniões ministeriais durante as manifestações que aconteciam no país em 2013.

Com horário previsto para as 16h, é possível que um representante do #Governo quebre o silêncio da presidente, que não fala com a imprensa desde 22 de dezembro, quando se pronunciou durante um café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto. Na ocasião, o assunto mais comentado foi a troca dos ministérios e o escândalo de corrupção na Petrobrás.

Nem mesmo na posse do presidente da Bolívia, Evo Morales, único evento público que participou, Dilma discursou ou se pronunciou perante a imprensa. Esta é segunda vez que a presidente não fala com a imprensa durante um longo período. Em 2012, o silêncio com a imprensa durou 38 dias.

Na reunião, Dilma ainda abrirá espaço para que os ministros exponham as metas e ações de cada ministério.

Publicidade

Os ministros da área econômica ainda terão que explicar as medidas de ações fiscais que têm sido adotadas ultimamente.

Desde que o segundo mandato de Dilma começou, ela tem tido encontros semanais com o chamado "núcleo duro" do governo. O núcleo é formado por seus ministros mais próximos, Aloizio Mercadante (Casa Civil), Pepe Vargas (Relações Institucionais), Miguel Rosseto (Secretaria Geral), Jaques Wagner (Defesa), Ricardo Berzorini (Comunicações) e conselheiros políticos.

Ministros

Os 39 ministérios tomaram posse junto com a presidente no dia 1° e são compostos por escolhas pessoais da presidente e indicações de partidos. Durante a escolha, Dilma admitiu dificuldade pela possibilidade de algum dos políticos estar envolvido no escândalo da Petrobras, que é investigado sob estrito segredo de justiça. #Negócios