Fevereiro de 2015 começou com todos os Senadores e Deputados empoçados. Seguiram todo o protocolo cerimonial, fizeram o juramento e prometeram cumprir. Além disso, foram eleitos os presidentes das casas. Renan Calheiros foi reeleito para o Senado e Eduardo Cunha será o mandatário na Câmara dos Deputados.

Os dois foram são do mesmo partido, PMDB, mas de estados diferentes. Renan, que já está na sua segunda metade do mandato, foi eleito por Alagoas e Eduardo pelo Rio de Janeiro. O primeiro chegou ao Senado em 2010, com 840.809 votos. O segundo ano passado recebeu 232.708 votos. São dois políticos fortes em seus estados e agora no Brasil.

Publicidade
Publicidade

Renan Calheiros é cercado de várias acusações e para saber quais são, você eleitor, não precisa fazer muito esforço para descobrir. O novo "pai dos burros", Google, nos mostra todas elas. Como não são poucas, selecionei as três mais relevantes e as exponho aqui.

Acusações contra Renan Calheiros

Entrega de documentos falsos: Em 2013, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, encaminhou uma denúncia contra o Senador ao Supremo Tribunal Federal. O documento afirma que "Renan apresentou, ao Senado da República, notas frias e documentos falsificados para justificar a origem dos recursos que o lobista de uma grande empreiteira entregava, em dinheiro vivo, à mãe de sua filha, a título de pensão". Pela denúncia, Renan deverá, segundo a "Época", responder crimes de peculato (desvio de dinheiro público), falsidade ideológica e uso de documento falso.

Publicidade

Crime ambiental: Como proprietário da Agropecuária Alagoas Ltda, Renan é acusado pelo Ministério Público Federal de pavimentar ilegalmente, com paralelepípedos, uma estrada de 700 metros na estação ecológica Murici, administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), no município de Flexeiras, a 66 km de Maceió. O instituto, porém, não foi consultado e não concedeu qualquer licença ou autorização para a obra. A unidade, de 6 mil hectares conserva áreas de Mata Atlântica. A estrada liga a Fazenda Alagoas, de propriedade do grupo de Renan, à principal rodovia que corta o estado, a BR-101.

Utilização de "Laranjas": O deputado federal Renan Filho (PMDB-AL), filho de Renan Calheiros, "diz ser sócio de uma rádio que, oficialmente, nos registros do Ministério das Comunicações, nunca o teve como cotista e está em nome de um funcionário do gabinete de seu pai, Carlos Ricardo Nascimento Santa Ritta." Durante a crise que o derrubou da Presidência do Senado, Renan negou publicamente o uso de laranjas para esconder suposta sociedade em rádios de Alagoas.

Publicidade

"Passados cinco anos, a situação continua a mesma: o Sistema Alagoano de Radiodifusão, que aparece na declaração de bens entregue por Renan Filho à Justiça Eleitoral em 2010, está registrado oficialmente em nome de Santa Ritta e de José Carlos Pacheco Paes".

Eduardo Cunha não possui acusações ou possíveis participações em atos que infrinjam a Lei. Cabe a nós, que os elegemos, ficarmos sempre de olho para que o dinheiro dos nossos impostos não vá parar em locais que não sejam o destino esperado: os serviços para o povo.

Muitos de nós esquecemos em quem votou cerca de seis meses após as eleições. Os motivos são vários, diria que o principal seria o fato de sermos obrigados a votar e ainda mais em pessoas que pouco conhecemos. É errada essa obrigação, assim como é muito mais errado votarmos em quem não conhecemos. Para conseguirmos melhorar cada vez mais o país e o povo poder viver cada vez melhor é necessário escolher um candidato de confiança e pesquisar sua biografia.

Com essas acusações sendo direcionadas contra si, teremos que fiscalizar muito bem o Senado e seu presidente. Quanto a Eduardo Cunha, seu partido é o que mais acumula denúncias de corrupção, portanto também teremos que observar tudo que será feito por ele. #Governo #Opinião