O processo de restabelecimento de relações diplomáticas entre Cuba e os Estados Unidos está sendo visto como positivo por Cuba. Na pauta, está, também, a reabertura de embaixada nos dois países.


As duas nações estavam desde 1959 sem relações diplomáticas. No final de 2014, foi anunciado por Barack Obama e por Raúl Castro que negociações para o reatamento seriam realizadas, visto que, nas palavras do presidente americano, esta é uma 'abordagem ultrapassada' e que o 'isolamento nunca funcionou'. Em vigor desde a Guerra Fria, o embargo norte-americano a Cuba, conhecido como 'el bloqueo', foi uma medida que interditou completamente a relação financeira e comercial entre os dois territórios. O embargo foi reforçado, em 1996, por meio da 'Lei Helms-Burton'.


Apesar dos avanços nas negociações, alguns temas delicados seguem pendentes. Entre eles, a solicitação de Cuba para deixar de figurar na lista americana de patrocinadores de terrorismo. Conforme o secretário de Estado norte-americano, esse seria um assunto a parte, que envolve diversas exigências bastante rígidas e 'não uma negociação'. Para a chefe da delegação cubana envolvida no processo, essa não é 'uma precondição, mas uma prioridade'. O governo de Obama flexibilizou recentemente algumas restrições impostas pelo embargo, porém o principal permanece ativo.

Em janeiro, Havana também cedeu, pondo em liberdade mais de 50 dissidentes que faziam parte de uma lista elaborada em conjunto com o governo americano. Cuba também manifestou disposição em receber empresas americanas em seu território que ofereçam boas oportunidades de negócios para as duas nações. Agora as partes investem sua concentração em uma lista de ações a serem tomadas a fim de que se feche rapidamente o acordo e as relações sejam, de fato, retomadas.

Espera-se que nos próximos meses as embaixadas já estejam abertas e com seus representantes diplomáticos já nomeados. A ideia seria finalizar todo o processo antes da realização da reunião da Cúpula das Américas, marcada para ocorrer nos dias 10 e 11 de abril, no Panamá.