Eleito presidente da Câmara em janeiro, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), , afirmou nesta segunda-feira (23), que os envolvidos nos escândalos de #Corrupção do caso #Petrobras, não farão com que a Câmara feche, as atividades serão mantidas normalmente. A divulgação é por conta da denúncia do Ministério Público Federal ao Supremo Tribunal Federal (STJ).

Segundo Eduardo, existe todo um processo regimental e que, ocasiona certa demora por parte de todos os envolvidos no caso do julgamento de corrupção. Em primeira análise, tem que acontecer um processo de cassação, o que demora muito tempo, em segunda instância, têm que ter representação e depois admissibilidade, só depois de decorridos estes passos é possível instaurar o processo.

Publicidade
Publicidade

Contudo, há certa expectativa no meio político em saber quais envolvidos serão denunciados pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal, principalmente os nomes dos políticos da Casa que estão envolvidos nos casos de corrupção da Petrobras. O esperado é que Janot apresente os nomes dos políticos esta semana ou na próxima.

Os desdobramentos da Operação Lava Jato, e os possíveis envolvidos nos casos de corrupção, segundo o Palácio do Planalto, podem provocar o engessamento do congresso, decorrente de políticos envolvidos no escândalo. O fato pode-se confirmar, já que um dos delatores da Operação Lava Jato, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, afirmou que em seu depoimento que entre 35 e 40 políticos foram citados como participantes nos esquemas de corrupção.

Publicidade

Caso as denúncias contra políticos sejam confirmadas, o Conselho de Ética pode abrir um processo de cassação de mandato contra os envolvidos, e após uma análise do colegiado, para que o mandato seja cassado ou não, deverá ser submetido a voto.

Ministros afirmam que caso os nomes de políticos envolvidos no escândalo de corrupção da Petrobras sejam confirmados, a Câmara estará ‘paralisada e dominada’ pelo exausto processo da Operação Lava Jato e não pelo que realmente deveria ser, políticos trabalhando em projetos.