Em um comunicado, o porta-voz da área de diplomacia internacional da Indonésia informou que o país está esperando o pedido de desculpas do Brasil por não aceitar as credenciais de seu embaixador, Toto Riyanto. Além disso, a Indonésia está analisando o modelo atual de cooperação bilateral com o Brasil. Entenda o que está acontecendo.

Brasil recusa credenciais

O embaixador da Indonésia foi até o Palácio do Planalto para entregar as credenciais para a presidente da República do Brasil, Dilma Rousseff. Entretanto, antes de ser recebido pela presidente, o embaixador Toto Riyanto foi retirado do local da cerimônia, onde os embaixadores da Grécia, Venezuela, Paraná, El Salvador e Senegal foram recebidos para entregar suas credenciais.

Esse fato aconteceu devido a divergência de ideias entre o Brasil e Indonésia.

Publicidade
Publicidade

De acordo com Dilma, antes de aceitar as credenciais do embaixador da Indonésia, é necessário que os dois países se entendam, para que o Brasil saiba como realmente estão as relação com este país. Na verdade, essa forte atitude que a presidente tomou foi para demonstrar a insatisfação do Brasil em relação aos vários pedidos de clemência pela vida dos brasileiros condenados a morte pelo crime de tráfico de drogas na Indonésia.

Indonésia solicita retorno do embaixador

Para demonstrar a indignação da Indonésia perante a ação de Dilma, as autoridades do país solicitaram que o embaixador Toto Riyanto retornasse ao país e permanecesse por lá até que o Brasil remarque uma data para receber as credenciais. Além disso, foi publicada uma nota em repúdio a atitude do Brasil, pois na visão deles, o país está tentando interferir na soberania da Indonésia.

Publicidade

Vale ressaltar que isso não é verdade. Por mais que discorde das leis da Indonésia, o Brasil respeita sua soberania. O brasileiro Marco Archer foi morto por tráfico de drogas, mesmo com os diversos apelos por clemência enviados pelo governo brasileiro. Todavia, o caso do brasileiro Rodrigo Gularte é especial, pois ele sofre de esquizofrenia. De acordo com a lei da Indonésia, para que a pessoa seja morta é necessário que ela esteja em pleno exercício das suas faculdades mentais, sabendo que o que fez é crime e qual é a punição.

Indonésia espera pedido de desculpas do Brasil

A Indonésia não concorda com o Brasil e permanece constrangida com o acontecimento, esperando que o país peça desculpas pela ação que tomou. Em uma nota enviada ao Brasil, as autoridades da Indonésia informaram todas as ações que solicitam faça para que a diplomacia entre os dois países volte a ser sólida. A principal ação que a Indonésia quer é o pedido formal de desculpas do Brasil pelo constrangimento e ação "anti-diplomática". As autoridades da Indonésia já informaram que as relações politico-econômicas com o Brasil estão sendo analisadas e revistas.

A presidente do Brasil fez o correto, pois apesar de aceitar a soberania da Indonésia, nenhum país é obrigado a concordar com ações do outro, nem aceitar credenciais de um lugar que mata cidadãos do país "amigo".

Publicidade

Exigir desculpas, sim, é uma intervenção na soberania brasileira. Caso Dilma peça desculpas para a Indonésia, com toda a arrogância de seus líderes, o Brasil vai perder a credibilidade internacional.

Entenda mais sobre o assunto, leia os seguintes textos:

Dilma recusa credencial de embaixador da Indonésia para atuar no país

Indonésia chama embaixador de volta e diz que ato de Dilma é 'inaceitável'