Joaquim Barbosa, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), utilizou sua conta no Twitter para opinar sobre as relações que advogados de empreiteiras que estão sendo investigadas na Operação #Lava Jato, da Polícia Federal, possuem com o  Ministro da #Justiça, José Eduardo Cardozo.

Segundo Barbosa, a Polícia Federal é subordinada do Ministro da Justiça, e tal fato leva a supor que quando há um envolvimento de advogados com políticos na resolução de processos judiciais, a Justiça esta sendo corrompida por aqueles que deveriam lutar por ela e acabam jogando de forma suja.

Barbosa justificou as críticas e rebateu dizendo que expôs sua opinião na publicação como um direito seu, já que agora também é livre para opinar democraticamente sobre aquilo que não concorda.

Publicidade
Publicidade

Joaquim se aposentou do cargo público e justificou seu direito de falar como ‘cidadão livre’, frente a atual crise que está sendo vivida pelo país na Política e na Justiça.

Joaquim também deixou muitas pessoas furiosas quando se referiu à reportagens compradas e às matérias escritas de forma incorreta, incentivando que as pessoas passassem a exibir suas opiniões sobre o que realmente acham certo.

Barbosa participou do julgamento do mensalão, além de ter presidido o Supremo Tribunal Federal, em 2014 pediu aposentadoria e deixou o cargo.

Uma das postagem que também tiveram impacto aconteceu no sábado (14), quando o ex-ministro usou sua conta no Twitter. Na mensagem, Barbosa defendeu a demissão de Cardozo motivada pelos encontros que o Ministro da Justiça teve com os advogados das empreiteiras investigadas pela Operação Lava Jato.

Publicidade

Segundo nota de Cardozo, os encontros com os advogados realmente ocorreram, mas durante as reuniões nenhum tipo de ilegalidade e irregularidade foi praticada. O Ministro da Justiça ainda complementou, alegando que é dever do seu cargo manter contato com os representantes das empresas investigadas, uma vez que a negação de tais reuniões pode resultar em penalidades graves de violação legal.