Uma pesquisa divulgada hoje pela Datafolha, concluiu que a popularidade da Presidente da República, #Dilma Rousseff despencou de 42% na última pesquisa para 23%.

Os baixos níveis de aprovação são reflexos das constantes revelações do escândalo bilionário de corrupção na Petrobras, bem como a ausência de investimentos federais para melhora da economia. Outros pontos que reforçam a baixa popularidade de Dilma, são a crise energética, regada a um apagão, a possibilidade de racionamento de energia e elevada alta das contas de luz, bem como os constantes cortes governamentais, que passou pelos benefícios previdenciários e que pode chegar em breve ao patamar dos programas sociais, como Bolsa Família e similares.

Publicidade
Publicidade

Dilma tomou posse do seu segundo mandato no dia primeiro de janeiro com promessa de realizar a reforma política e combater a corrupção.

Cumprindo ou não com as promessas de campanha e do discurso bem feito de sua posse, o fato é que se fazem necessárias mudanças urgentes na economia brasileira, caso contrário, a Petrobras não só vai quebrar antes do período de dois anos a três anos (prazo aproximado para uma recuperação total ou quebra), como sua popularidade se reduzirá ainda mais.

Esse ponto anima a oposição para um possível Impeachment. Vale salientar que a operação da Polícia Federal, a Lava Jato, destinada a investigar a corrupção na Petrobras, ainda não foi finalizada, bem como o depoimento do doleiro Youseff ainda não foi divulgado, podendo ter novas revelações bombásticas do caso que não só abalaria o #Governo da petista com um eminente pedido de Impeachment , como colocaria o país em problemas sérios, como piora da economia e aumento da inflação.

Publicidade

Com a mudança da gestão da Petrobras na última sexta feira, as chances de melhora dos números da Bovespa são bem grandes, mas se a nova administração seguir o mesmo nível da anterior, corremos sérios riscos de sermos presenteados com novos aumentos de combustíveis. Vale salientar que estima-se que os aumentos da tarifa para consumo de energia elétrica no Brasil aumentem mais de 40% até o fim do primeiro semestre desse ano. Jogo de cintura é pouco perto do que a Presidente deverá ter para conseguir cumprir o seu mandato até o fim.