O Brasil está passando por diversas crises. Algumas generalizas e outras mais localizadas. Especialistas aguardam as próximas ações de Dilma sobre estes assuntos para amenizar possíveis e maiores problemas posteriores. Confira abaixo quais são as cinco crises que a presidente precisa resolver urgentemente para melhorar o cenário econômico do país.

Alto custo da energia elétrica

A partir de março, a conta de energia elétrica pode aumentar em até 53%. De acordo com o governo, esse aumento será feito para custear o funcionamento das termoelétricas e subsidiar programas sociais. No caso das termoelétricas, é necessário mais dinheiro porque elas estão operando em nível máximo para poupar água das hidrelétricas, por causa da crise hídrica de parte do país.

Publicidade
Publicidade

O problema é que esse aumento pode afetar a indústria, causar demissões e fechamento de portas. O quadro pode fazer com que a indústria tenha um dos piores desempenhos até hoje - em 2014, o seu desempenho foi fraco e caiu 3,2%. E vale lembrar que Dilma tem experiência na área, já que foi secretária de Energia, Minas e Comunicações em 1993 no Rio Grande do Sul e ministra de Minas e Energia do país em 2003.

Crise da Petrobras

Na última quarta-feira (25), Dilma afirmou que a situação da Petrobras "está superada". Essa postura pode desestimular investimento na estatal e outros setores do país, causar desconfiança e agravar ainda mais a crise. No fim de fevereiro, ela afirmou que os desvios seriam menores se tivessem sido investigados no governo FHC, se negando a assumir a responsabilidade na maior crise da Petrobras.

Publicidade

Há especialistas que acreditam que a maior consequência dessa crise pode ser a recessão econômica ainda em 2015. A redução nos investimentos da estatal por causa da crise pode equivaler a um ano e meio de Bolsa Família.

Número de miseráveis subiu

A redução da pobreza sempre foi a principal marca e bandeira do PT. Mas o número de miseráveis aumentou 3,7% entre 2012 e 2013, de acordo com dados do Ipea. O conceito de "miserável" é dado a quem não tem renda suficiente para comprar o mínimo de alimentos para comer saudavelmente a cada mês.

De acordo com Aloizio Mercadante, ministro da Casa Civil, o aumento está dentro da margem de erro. O ministro também afirmou que os dados poderiam estar errados. As principais consequências do aumento da extrema pobreza é o número de doenças, que sobrecarrega o sistema público de saúde, e aumento da violência. 

Crise hídrica

A distribuição da água é de responsabilidade estatal. Mas o Ministério Público avaliou que o Governo Federal também tem responsabilidade na crise hídrica.

Publicidade

A crise hídrica ameaça a economia, pois impacta negativamente a produção de indústrias, empresas e setor agrícola.

Rachas internos do PT e demandas do PMDB

Marta Suplicy contou ao Estadão sobre um racha nos bastidores do partido entre "Dilmistas" e "Lulistas". Na mesma entrevista, a senadora do PT afirmou que "ou o PT muda ou acaba". Marta afirmou que Lula está incomodado que Dilma não o ouve. Problemas internos podem afetar sua governabilidade.

A comunicação com o PMDB, base aliada, também é um problema interno a ser resolvido, e que afeta sua governabilidade. Acredita-se que o PMDB está tentando se afastar do PT para tentar, em 2018, uma candidatura própria à presidência.