A #Corrupção brasileira é um mal que nenhum líder político brasileiro conseguiu ao menos minimizar em terras nacionais. Desde épocas coloniais a roubalheira dos governantes representa ponto marcante no solo verde-e-amarelo.

No Rio de Janeiro aconteceu outro destes casos históricos na corrupção brasileira. O prefeito petista, Mauro Henrique Chagas, de São Sebastião do Alto, foi acusado de receber 100 mil reais de propina. Quem pagou a quantia, um empresário do município de Macaé, também fez papel de principal denunciante.

Investigações da PF (Polícia Federal) sobre este caso da corrupção brasileira servem como subsídios para a acusação ao prefeito.

Publicidade
Publicidade

Como se sabe, desde o dia 18 (quinta-feira) Chagas se encontra na prisão, mas apenas após 2 dias foi solicitado de modo oficial o pedido de afastamento dele do cargo de prefeito.

O esquema

De acordo com a Polícia Federal, que investiga este entre tantos casos de corrupção brasileira, neste fato em particular há evidência de "improbidade". Representantes do Ministério Público já se pronunciaram sobre as hipóteses do prefeito pagar, por danos morais coletivos, quantia equivalente em 1 milhão de reais.

Os federais investiram pesado nas investigações para recolher materiais reveladores, tudo a dificultar as defesas de Mauro Henrique Chagas, o mais novo político brasileiro suspeito. Conforme o inquérito, no esquema, o prefeito, em troca de propina, garantiu dois contratos públicos (licitações fajutas) para um empresário.

Porém, Mauro Henrique Chagas não contou que o próprio empresário faria a denúncia, o que de fato aconteceu.

Publicidade

O prefeito "mafioso" começou a pressionar o dono de empresa a realizar os pagamentos, e este, "coagido", denunciou à PF.

Vale ressaltar que a prefeitura não soltou nenhuma nota sobre o fato, demonstrando a bagunça na administração do município, atordoada com o acontecido. Os advogados de Chagas também se mantêm em silêncio. 

Corrupção brasileira: A culpa é de quem?

Logo que assumiu o primeiro mandato a presidente Dilma se comprometeu em lutar de modo direto contra corrupção. Desde então, diversos nomes foram pegos com a "boca na botina", mas poucos pagaram de modo exemplar.

O caso de Mauro Henrique Chagas traz à tona uma dúvida no mínimo interessante: Com o #PT no poder a corrupção brasileira aumentou ou o PT é único partido na história a encarar o combate da corrupção brasileira como algo sério ao ponto de punir os próprios integrantes partidários? #Justiça