Quase metade dos eleitos para 2015 é de governadores milionários, número que aumenta em cada eleição, assim como o de deputados milionários. Existem 13 nomes entre os 27 eleitos. O nome com destaque na lista, Reinaldo Azambuja (PSDB), governador no Mato Grosso do Sul, declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aproximados R$ 37 milhões. Valor bem maior que a quantia de R$ 1 milhão de Pedro Taques (PDT), representante do Mato Grosso.

Reinaldo Azambuja: "Imperador" do Mato Grosso

Mato Grosso, 12° região brasileira no IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), traz o líder entre os governadores milionários. Dos R$ 37 milhões se pode dizer que o bem mais caro declarado ao TSE é uma fazenda, em Maracaju, com 1.040 ha (valendo quase R$ 11 milhões).

Publicidade
Publicidade

O pecuarista também tem 1.300 cabeças de gado (R$ 3 milhões aproximados), um trator (R$ 400 mil), entre outros bens.

O segundo dos governadores milionários no "clube 13" é Robinson Faria, dono de R$ 8 milhões. Na sequência ainda existem nomes como Confúcio Moura (PMDB), Geraldo Alckmin (PSDB), entre outros.

Governados milionários suspeitos

Você pode se perguntar sobre o problema de milionários assumirem cargos na política. Aparentemente não há nenhum, tirando o caso daqueles que escondem parte do patrimônio, como acontecem com alguns nomes - caso, por exemplo, de Marconi Perillo (PSDB), um dos governadores milionários que fizeram fortuna no posto político.

Marco Perillo aumentou em cinco vezes o seu patrimônio imobiliário desde quando assumiu a primeira vez o #Governo de Goiás, em 1998.

Publicidade

Porém, o político jamais divulgou tais valores ao TSE. A Receita Federal ainda indicou que Perillo escondeu a compra de um terreno com tamanho equivalente a 1 milhão de m².

Entre 1998 e 2010 o patrimônio do governador goiano saltou de R$ 300 mil para R$ 1,5 milhão. Por este motivo que Perillo é nome certo na CPI do Cacheira (Comissão Mista Parlamentar de Inquérito), à metade do ano de 2015, afinal, seu patrimônio está além do que declarou ao TSE.

Como ser político?

Considerando a realidade se pode dizer que o dinheiro representa principal ferramenta para chegar ao poder político no Brasil atual, maior até do que ideologia, inteligência ou capacidade de gestão.

Se você sonha em ser político, então não perca tempo, abandone os livros e abra algum negócio milionário, jogue futebol, ou ainda, vire artista da Globo antes de se tornar outro dos governadores milionários.