Neste domingo (15) os brasileiros foram às ruas protestar e demonstrar a sua insatisfação com o atual governo. A cidade de Fortaleza (CE), juntamente com a capital Recife (PE) foram os estados nordestinos com maior números de participantes no protesto. As estimativas na capital cearense foram de 15 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, já os organizadores estimaram esse número em 20 mil participantes.

As pessoas, que estavam vestidas de verde e amarelo, começaram a chegar ao local inicial às 8h da manhã, e a caminhada teve início ao meio dia, saindo da Praça Portugal, uma praça central situada em um dos bairros mais nobres da capital, Aldeota, seguindo pela Avenida Desembargador Moreira até a Beira Mar, culminando em discursos e a execução do Hino Nacional.

Publicidade
Publicidade

Além dos gritos de "Fora PT", "Lula Ladrão" e "Fora Dilma", a #Manifestação também foi embalada pela famosa música Pra não dizer que eu não falei das flores, de Geraldo Vandré, símbolo da resistência à ditadura militar (1964-1985), cantada pelos manifestantes durante a passeata antigoverno.

Os manifestantes também carregavam consigo cartazes, que continham frases como: "Petrolão é golpe, impeachment é constituição" e "Luladrão". Mas o ponto alto do evento foi um avião, que acompanhou a multidão e fazia acrobacias durante o protesto.

A PM classificou a manifestação como tranquila. Crianças, bebês e idosos estavam entre os participantes do protesto. O jornal O Povo, periódico de grande circulação no estado do Ceará, falou com o organizador do evento, Paulo Angelim, que disse não haver previsão de um próximo manifesto, e que o ato deve seguir um cronograma nacional.

Publicidade

Incidentes

Um homem de 19 anos foi preso pela polícia por estar com um canivete, mas, no geral, a polícia considerou o evento tranquilo. Um pequeno grupo tentou penetrar na manifestação com uma faixa que pediu intervenção militar. As pessoas da manifestação pediram para o grupo se retirar, e os mesmos foram acompanhados para fora da praça pela PM.

Panelaço

Após os atos de manifestação, houve o pronunciamento do ministro José Eduardo Cardoso e do Secretário-Geral da Presidência, Miguel Rossetto. Fortaleza foi uma das cidades que tiveram panelaço na hora da entrevista, além de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e outras cidades. #Corrupção