#Impeachment é a palavra do momento que ronda as redes sociais em ato de #Manifestação por insatisfação popular com o governo de #Dilma Rousseff. A mobilização disseminada pela internet por grupos distintos, entre eles jovens ativistas políticos, anti-PT, e independentes, pretende atrair a massa e levar milhares de pessoas às ruas de todo o País neste domingo, 15 de março, as 15 horas, em protesto contra a crise no quadro político de escândalos de corrupção e a saída da Presidente, que desde a reeleição, tem sido alvejada.

Não existem elementos factuais nem fundamento jurídico para pedir o impeachment de Dilma, entretanto o artigo 86 da Constituição não impede que sofra acusações.

Publicidade
Publicidade

"Sou a favor da livre manifestação, porém contra o objetivo final desta marcha pelo simples fato de que ele é inconstitucional. Pretender depô-la por julgá-la incompetente, ou mesmo culpada de ilícitos - sem, entretanto, apresentar provas concretas - não é, legalmente, Impeachment algum: é um Golpe.", afirma o escritor, músico, professor e pesquisador Sérgio Gaia.

Segundo Gaia, a origem da corrupção está nas regras dos bastidores, não na pessoa ou partido que ocupa o poder. "É preciso perceber, que as únicas mudanças concretas e possíveis apenas se dariam caso mudássemos as regras do jogo de fato, estamos falando de Reforma Política, que deveria ser a pauta número um da população.", conclui.

As articulações para manifestações contra o governo e corrupção tem sido constantes e lideradas por grupos diversos que possuem diferenças significativas, mas com único objetivo comum de insatisfação com o governo.

Publicidade

Entre os principais articuladores mais populares estão o "Vem pra Rua", "Movimento Brasil Livre" e "Revoltados Online", que pretendem levar às ruas de todo o país no domingo milhares de manifestantes pela saída de Dilma.

Em entrevista por telefone com o líder do Revoltados Online, Marcello Reis, 40, diz que o movimento tem pautas mais abrangentes e a expectativa é de receber pelo menos 100 mil pessoas para o protesto do dia 15 na Avenida Paulista. "Estamos focando no Impeachment e posteriormente a volta do voto no papelzinho.", declarou.

Reis mencionou ainda que não acredita que haverá nenhum confronto e a PM vai fazer um bom trabalho para garantir a segurança dos manifestantes durante o ato.

Com repercussão nacional da mídia pela quantidade de protestos marcados em todos os Estados brasileiros, a jornada também leva às ruas nesta sexta-feira (13) as 15 horas, manifestações pró-governo lideradas pelos movimentos CUT - Central Única dos Trabalhadores, UNE - União Nacional dos Estudantes e MST Movimento dos Trabalhadores Sem Terra em defesa da democracia, da Petrobras, além da reforma política.

O Revoltados Online também realiza marcha nesta sexta, em frente a Petrobras, com a intensão de um esquenta para que as pessoas tomem ciencia da causa.