A presidente Dilma Rousseff conversou ontem (13), por telefone, com o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Os principais temas do telefonema foram a segurança, energia e comércio. Outros assuntos também foram envolvidos durante a ligação. Tanto a Casa Branca, quanto o #Governo brasileiro, não noticiaram qual foi a duração da conversa.

A informação sobre a ligação da presidente e de Biden foi publicada primeiro pelos Estados Unidos. Os norte-americanos fizeram questão de destacar alguns dos interesses em comum entre as duas nações. Em nota, a Casa Branca comentou que o vice-presidente reiterou a importância da relação entre Brasil e Estados Unidos, em que ele (Joe Biden) e o presidente Barack Obama vão fazer todos esforços para realizar os planos que ambos países possuem. 

Do outro lado, o governo brasileiro divulgou a informação de que tanto a presidente Dilma e o vice-presidente norte-americana destacaram o fortalecimento da relação entre os dois países. Mas, o governo foi mais adiante, e disse que os maiores interesses da relação estão principalmente na área da energia e do comércio. A Presidência também informou que Dilma e o presidente Barack Obama vão se encontrar na Cúpula das Américas, que acontece no mês de abril, na Cidade do Panamá.

A relação entre o Brasil e os Estados Unidos estava vivendo momentos de tensão desde as revelações de espionagens que eram feitas pelas norte-americanos. Como forma de reatar as conversas, a presidente Dilma deve fazer uma visita aos norte-americanos até setembro deste ano.

Na época em que as informações sobre espionagem na comunicação da presidente Dilma e de grande parte dos brasileiros, em outubro de 2013, Dilma tomou ações como protesto. Entre os gestos, a presidente brasileira cancelou uma visita aos Estados Unidos, ato realizado por poucos líderes da história mundial. Outra ação foi que o governo brasileiro tomou foi não comprar caças dos Estados Unidos. Na época, a Força Aérea negociou com a Suécia.

A ligação entre a presidente brasileira e o vice-presidente norte-americano, Joe Biden, acontece dois dias antes das manifestações que podem abalar o governo brasileiro, ainda mais quando os protestantes pedem o impeachment de Dilma Rousseff.