Como determinação ao pedido da Polícia Federal, 10 presos da Operação #Lava Jato foram transferidos da carceragem da PF, na cidade de Curitiba, para o Complexo Médico Penal de Pinhais, na Região Metropolitana da capital paranaense. A alegação da PF foi a de que a custódia não suportava a quantidade de presos.

A #Justiça Federal do Paraná, por meio do juiz Sérgio Moró, responsável pelas decisões no caso 'Lava Jato', autorizou a transferência de 12 detentos, porém, apenas 10 foram transferidos. Fernando Antônio Falcão Soares e Gerson Almeida foram mantidos sob custódia da PF. Ambos irão prestar esclarecimentos a PF nos próximos dias e na sequência serão transferidos.

Publicidade
Publicidade

Adir Assad, Agenor Franklin, Erton Medeiros, João Ricardo Auler, José Aldemário Pinheiro, Mário Frederico Góes, Mateus Coutinho de Sá, Renato Duque e Sérgio Cunha Mendes chegaram algemados por volta das 9h no Complexo.

O pedido de transferência de Nestor Cerveró foi negado por motivos médicos. O ex-diretor da Petrobras recebe acompanhamento psicológico na carceragem da PF. Ricardo Pereira Pessoa, presidente da construtora UTC também teve a transferência negada por pedido do Ministério Público Federal. Seguem sob custódia da Polícia Federal também o doleiro Alberto Youssef, as doleiras Nelma Kodama, Iara Galdino e os executivos Dalton dos Santos e Eduardo Leite.

A PF alegou em seu pedido de transferência que alguns dos investigados não podem se comunicar e seria complicado manter a ordem em um espaço reduzido, apenas 6 celas, com tantos presos.

Publicidade

Complexo Médico Penal

O local para onde os investigados foram transferidos fica a 20 quilômetros de Curitiba e recebe presos com idade mais avançada, acima de 60 anos, com ensino superior completo e os que precisam de atendimentos especiais por conta da saúde.

Os novos presos terão uma ala própria no Complexo, afastada dos outros detentos. A Polícia Federal informou que todos terão tratamentos iguais aos outros 681 encarcerados: uma hora de banho de sol, duas horas e meia de visita aos finais de semana, mesma comida e dividirão os banheiros. #Corrupção