A presidente do Brasil Dilma Rousseff enfrenta um crescimento na desaprovação do seu #Governo. Começou o seu mandato no início do ano com 79% de aprovação e o quadro se desestabilizou após o anuncio de esquemas de corrupção em empresas estatais e órgãos governamentais.

Entre os jovens a o índice de aprovação é baixo, chegando a 8% conforme dados divulgado pelo Ibope. A impopularidade da presidente entre os jovens pode ser atribuída a diversos fatores como as manifestações populares que ganharam as ruas do país desde junho de 2013 contra a corrupção. Outro fator apontado são as novas regras do FIES aprovadas recentemente, onde os alunos enfrentam dificuldades em suas matrículas.

Publicidade
Publicidade

A confiança dos brasileiros no governo Dilma anda ameaçada e oscila frequentemente. Apenas 14% acreditam que o governo pode tornar-se bom ou ótimo nos próximos anos do mandato da presidente do PT. O índice caiu de 40% para 14% em apenas quatro meses. Outro dado negativo é a desaprovação do governo. A porcentagem dos cidadãos que não concordam com as políticas implantadas pelo governo subiu de 41% para 78% quase atingindo o percentual de aprovação que o governo Dilma mantinha no início do ano de 2015.

Aumenta também o número de brasileiros que consideram o governo de #Dilma Rousseff ruim ou péssimo. O percentual que em dezembro de 2014 era de 27% saltou para 64% dos entrevistados, segundo informações divulgadas pelo Ibope.

A dificuldade do governo em manter a estabilidade econômica, investigar os casos de corrupção e manter o ajuste fiscal, desgasta a cada dia mais a imagem da presidente e do Partido dos Trabalhadores (PT).

Publicidade

Diante do cenário de instabilidade política, o governo vem enfrentando severas críticas e apontamentos sobre as políticas econômicas implantadas. A negociação das dívidas dos estados e municípios com a União, apresentada pelo Ministro da Fazenda, Joaquim Levy foi uma atitude considerada positiva pelo governo diante do ajuste fiscal apresentado no início do ano.

O ibope ouviu 2002 pessoas que responderam a pesquisa em mais de 140 municípios durante três dias no final do mês de março. A média da margem de erro da pesquisa realizada pelo Ibope foi fixada em 5%.