Um esforço de guerra. É isto que a França está propondo ao colocar nas ruas mais de 7 mil soldados como forma de combate às ameaças terroristas. Este esforço, uma verdadeira operação de logística complexa, recebeu o nome "sentinelle" cuja tradução leva a uma palavra similar em nossa língua (sentinela).

Francois Hollande divulgou a notícia para toda a nação francesa que a recebe com alegria, mas também com algumas dúvidas e medo de um provável recrudescimento das ações terroristas no país.

Além de proteger as pessoas, o objetivo é, também, a proteção de prédios públicos, locais religiosos e pontos turísticos da França, frente a uma ameaça feita contra a torre de Eiffel, por terroristas que pretendem repetir o 11 de setembro em terras francesas, mostrando o pouco caso de grupos terroristas contra aparatos bélicos e demonstrações de força.

Publicidade
Publicidade

Para o povo e para os monumentos históricos uma garantia que será mais difícil de ser atingida. Para o exército um polpudo aumento no orçamento durante os próximos anos, já que a operação teve início, sem que seu fim tivesse sido estabelecido. O tradicional "até acabar com eles" acabou sendo pronunciado, mesmo contra todos os prognósticos estabelecidos pelo número de vitórias do #Terrorismo, contra as forças estabelecidas. O incremento do orçamento irá custar aos cofres do governo algo perto de 3,8 bilhões de euros.

O estado pretende bancar sozinho, sem que o costume que "dando que se recebe", comum em nosso país, trocado por licenças de telecomunicações e outras "pedaladas" financeiras com sotaque Francês, venham a acontecer. O governo parece não querer abrir brechas por onde os ligeiros ratos corruptos costumam se esgueirar com uma velocidade acelerada.

Publicidade

A operação também pretende, com apoio de aliados, efetuar operações no exterior na caça de terroristas procurados. Cada governo tem a sua forma de agir e o que se pode desejar é o sucesso da operação para desmantelar grupos terroristas, atuem eles onde atuarem. Os olhos do mundo se voltam para solo Francês e uma corrente de solidariedade parece emanar como uma rede de proteção aos participantes da operação antiterrorismo.