A plenária nacional organizada pela CUT, com o apoio do #PT, realizada ontem, 31, contou com mais de 3.000 militantes e sindicalistas, os quais foram convidados pelo próprio presidente do partido, Rui Falcão, em vídeo divulgado pela internet. Entre os presentes estava o ex-presidente da república Luiz Inácio #Lula da Silva.

Lula, em seu discurso, defendeu a Petrobras e o governo da presidente Dilma Rousseff, a quem atribuiu a valentia em permitir que as investigações sejam realizadas. Em sua principal fala, o ex-presidente foi enfático ao afirmar que ele também está indignado com a #Corrupção, a qual deve ser combatida.

Publicidade
Publicidade

Além disso, alertou aos militantes do Partido dos Trabalhadores para que não abaixem a cabeça: "Não podemos aceitar que chamem a gente de corrupto. Não podemos abaixar a cabeça. Não vou admitir que alguém venha levantar suspeita de que o PT é corrupto".

O que o ex-presidente esqueceu de mencionar é que o tesoureiro do partido, João Vaccari Neto, é réu na ação movida pelo Ministério Público Federal, conhecida como 'Lava Jato'. Vaccari nega as acusações e não pretende deixar o cargo. O PT, por sua vez, não afastou o dirigente até o momento. Para o ex-governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, que participou de encontro com petistas na segunda-feira (30) em São Paulo, as provas do processo devem ser analisadas pelo partido e, se estiverem bem fundamentadas, o tesoureiro deve ser afastado pelo PT.

Publicidade

O que Lula esqueceu ainda de informar é que seu partido não expulsou os mensaleiros José Dirceu e José Genoíno, ambos condenados por corrupção em processo já transitado em julgado, ou seja, não cabe mais recursos. Contrariando o próprio estatuto do partido, que determina, em seu artigo 231, a expulsão dos filiados condenados por crime com trânsito em julgado.

Na verdade, a indignação do ex-presidente parece uma resposta para as manifestações ocorridas contra o partido, como forma de persuadir a população a acreditar que o Partido dos Trabalhadores não está envolvido em corrupção. Contudo, os fatos e a justiça têm mostrado diferente.