Faleceu neste domingo (12), aos 90 anos, Paulo Brossard de Souza Pinto, jurista, senador, ministro e ativo participante na redemocratização do Brasil. Ele foi fundador do Movimento Democrático Brasileiro - MDB, que fazia oposição à Ditadura Militar. Com oratória envolvente e convincente, Brossard foi responsável por uma retumbante vitória do povo contra a Ditadura, ao eleger-se senador em 1974 pela sigla do MDB, contra o representante da ARENA - Aliança Renovadora Nacional, o governista Nestor Jost.

Fala pausada, imagem de bonachão, polarizou a opinião pública do eleitorado do Rio Grande do Sul e transformou a eleição para senador num inflamado plebiscito contra a Ditadura, que assumiu ares de uma vitória comemorada como conquista de um campeonato de futebol, com repercussão nacional.

Em 1966, com a dissolução dos partidos tradicionais pela Ditadura, foi criado bipartidarismo, visando dar credibilidade a um regime de força, com um partido fantoche, governista e um frágil e controlável partido de oposição.

Publicidade
Publicidade

Vendo no golpe de 1964 um movimento moralizador do país, Brossard foi-se desencantando com os episódios de desonestidade dos detentores do poder.

Legalista, seria um dos fundadores da ARENA, mas acabou no MDB, sendo a gota d'agua de seu desencanto, a eleição para governador do Rio Grande do Sul, pela via indireta, em 1965, onde a oposição, com maioria de deputados, elegeria um governador de oposição. A Ditadura cassou tantos deputados de oposição quanto necessário para tornar o partido do governo maioria, que elegeu seu candidato.

A filiação de Brossard ao MDB foi vista com bons olhos pelo governo, pois seu nome diminuía um pouco a fragilidade da oposição e dava mais credibilidade ao bipartidarismo. Além de prisões arbitrárias, tortura, a redução dos mandatos dos governadores eleitos em 1962, eleições indiretas para governador, sucessivos atos da Ditadura iam desequilibrando a disputa que deveria ser justa e democrática, além de propaganda enganosa tecendo diariamente loas ao governo.

Publicidade

A eleição de 1974 foi um marco da reação do povo contra a Ditadura e Paulo Brossard cristalizou na sua pessoa a imagem de defensor do povo contra os desmandos da Ditadura, numa primeira e histórica vitória pelo voto. #História