João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, foi preso na manhã desta terça-feira em uma nova etapa da Operação #Lava Jato. Ele foi detido em sua casa em São Paulo e deve ser transferido para a Superintendência da Polícia Federal, localizada em Curitiba. Além de Vaccari, foi presa a cunhada do petista, Marice Correa Lima, acusada por envolvimento no esquema de #Corrupção da Petrobras. A polícia também colheu o depoimento da esposa de Vaccari, Giselda Rousie de Lima, que, no entanto, não foi levada à delegacia.

O tesoureiro do PT é acusado por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. De acordo com os investigadores, ele atuava como operador no recebimento de propina destinada ao PT, que recebia uma porcentagem de todos os contratos feitos pelo setor de Serviços da Petrobras, na época em que a diretoria encontrava-se no comando de Renato Duque.

Publicidade
Publicidade

Vaccari é apontado como peça importante em sete frentes de investigações realizadas pelo Ministério Público Federal na Lava Jato.

Na última semana, João Vaccari deu seu depoimento à CPI da Petrobras, instaurada na Câmara dos Deputados com o intuito de averiguar os casos de corrupção envolvendo a estatal. Na ocasião, o petista negou qualquer envolvimento com os esquemas de propina que ocorriam na empresa, alegando que as doações realizadas ao PT por meio de empreiteiras sempre foram legais. As investigações têm apontado para um possível esquema em que as propinas vindas de empresas investigadas na Operação Lava Jato seriam pagas por meio de contribuições legais ao Partido dos Trabalhadores.

Além disso, durante o depoimento, Vaccari procurou desqualificar as acusações feitas por detentos da Lava Jato, em processo de delação premiada.

Publicidade

Entre os presos que relataram o envolvimento do petista no esquema de corrupção da Petrobras estão: Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da estatal; Alberto Youssef, doleiro indicado como uma das peças fundamentais do esquema; e Pedro Barusco, ex-gerente de Serviços da empresa.

Na última sexta-feira (10), o ex-deputado pelo PT, André Vargas, também foi preso pela Polícia Federal por envolvimento com o esquema de corrução.