O jornal Folha de São Paulo anunciou (12/05/15) que o Governo Dilma têm incluso no seus planos de Infraestrutura um mega projeto que ligaria por meio de linha ferroviária o Brasil e o Peru, abrindo espaço para uma rota que ligaria os oceanos Atlântico e Pacífico.

O projeto está estimado em 30 bilhões de reais e já apresenta imensos desafios logísticos, de projeção, planejamento e execução. Será necessário muita competência para desenvolver o ambicioso projeto que cortaria a cordilheira dos Andes, longa cadeia montanhosa da América do Sul e passaria pelo centro do agronegócio brasileiro, facilitando a distribuição dos grãos.

Publicidade
Publicidade

O Rio de Janeiro, região costeira e de fácil acesso ao porto, seria o ponto inicial da ferrovia no território brasileiro. O grande desafio pode trazer inúmeros benefícios para todos os países participantes.

O projeto, que seria apoiado pela China, teria um grande impacto no desenvolvimento da economia regional, na integração e cooperação dos países Sul-americanos e nas estratégias geopolíticas dos países envolvidos. E.U.A e China são potências antagônicas e a estratégia geopolítica é fator fundamental para assegurar o desenvolvimento das atividades de cada um desses países e suas atividades. Atualmente, a soja demandada pela China é escoada do Mato Grosso até o porto de Santos em São Paulo ou pelo porto de Belém, onde os navios que são carregados precisam cruzar o canal do Panamá, controlado e influenciado pelos E.U.A.

Publicidade

O interesse da China advém da necessidade de cristalizar suas estratégias e garantir suas atividades. Brasil e China vem desenvolvendo boas políticas de cooperação nos últimos anos, os países tem proximidade ideológica, colaboram em politicas externas e de integração e são membros importantes na composição do BRIC'S, bloco econômico com potencial de desenvolvimento e que apresenta risco na hegemonia americana e europeia.

O Brasil por sua vez é a maior economia da América do Sul, a região não apresenta um bloco forte e integrado como U.E, pode assim, através da conexão ferroviária, aumentar os #Negócios intra-bloco, estreitar relações e acordos com os países do MERCOSUL e assumir posto de destaque na região. O Peru por sua vez teria benefícios econômicos e geográficos como o Brasil, a movimentação de mercadoria, a facilidade para transporte e o desenvolvimento seriam consequências do projeto.

O projeto da Megaferrovia traz em seu bojo um enorme desafio, porém, os benefícios advindos da construção e execução do projeto (que terá Know-How de construtoras Chinesas) apresenta grandes possibilidades Geopolíticas, econômicas e de expansão para todas as partes. Contribuindo para a paz através do comércio internacional, do estreitamento das relações entre os países envolvidos e da cristalização de uma América do Sul mais forte politica e economicamente.   #Opinião #Dilma Rousseff