Em foco as concessões em infraestrutura. Tudo foi decidido em tempo de feriado em Brasília. A presidente se reuniu com os ministros da equipe econômica. Os valores foram determinados e a divulgação do fato marcada.

Os reflexos devem ser percebidos a partir desta terça-feira (9). Alguns, ainda curtindo o feriado prolongado, devem não prestar muita atenção aos fatos. Será lançado o pacote de concessões que o Governo concede para a iniciativa privada (meio suja no pedaço). O fato merecerá uma cerimônia no Palácio do Planalto.

Aqueles que ficavam de plantão na espera da oportunidade de ganhar algum dinheiro extra para ajudar nas despesas agora, em tempo de lavagem (à jato) da lama que envergonha a política brasileira, estão perdendo uma boa oportunidade.

Publicidade
Publicidade

Sem esta possibilidade, pode ser que os valores estejam ajustados e não venham a parar em cofres errados, situados lá pelas bandas europeias, em algum paraíso fiscal. Esta será a segunda etapa de concessões, após a negociação que ocorreu em maio tendo como objeto a ponte Rio-Niterói.

A presidente (com os dedos cruzados por trás das costas) espera que ele tenha o mesmo "sucesso" do primeiro programa (dizem que tudo o que este Governo faz é bom, sem dizer na visão de quem. certamente não será do público). O programa envolve rodovias, aeroportos, portos e outras concessões (para a corrupção a coisa está bloqueada, pelo menos enquanto os rumores do que aconteceu na Petrobrás continuarem a ocupar as manchetes).

Caso você não saiba, o fato faz parte da agenda positiva do governo, ela existe e nos cabe cobrar sua efetividade, o que nem sempre ocorre, conforme as esperanças de alguns políticos.

Publicidade

Somente para a área de portos está previsto um gasto próximo a 5 bilhões de reais.

Como o mal já está feito e não há como mudar o panorama, pelo menos nos próximos quatro anos, resta torcer para que o dinheiro aplicado seja bem utilizado e que o programa traga benefícios aos cidadãos brasileiros, que andam meio descrentes com promessas políticas. #Negócios