Após, o Congresso Nacional ter aprovado recentemente uma alteração que favorece o fim do fator previdenciário, o governo de Dilma Rousseff apresentou um projeto de lei como uma alternativa ao equacionamento do mesmo, que reduz drasticamente a aposentadoria do trabalhador.

Segundo a proposta do Congresso Nacional, o trabalhador ou trabalhadora teria somado ao tempo de contribuição sua idade (a soma deveria atingir, no caso de mulheres, 85 anos e de homens 95 anos). Assim, ele teria direito a aposentadoria integral pelo sistema de previdência nacional. Esta proposta seria uma alternativa ao fator previdenciário.

Pela nova proposta o tempo para obter aposentadoria integral seria a soma do tempo de contribuição mais idade igual ou superior a 86 anos para mulheres e 96 anos para homens.

Publicidade
Publicidade

Tal fator seriao mudado na medida que a expectativa de vida do brasileiro aumentasse, sofrendo também aumento. Por enquanto, tal proposta ainda segue em discussão, junto aos sindicatos e movimentos trabalhistas.

O fator previdenciário, foi aprovado no ano de 1999 pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso junto ao Congresso Nacional da época. Naquela ocasião, a justificativa para tal ato foi de que a administração precisava realizar uma grande contenção de gastos, evitando assim o colapso da economia nacional nos mais diversos aspectos. Então, tal decisão foi aprovada, com oposição dos petistas.

Porém, quando o #PT assumiu o poder, com a chegada de Luís Inácio Lula da Silva à presidência, em 2002, tal regra seguiu em vigor. A medida não foi alterada até hoje, treze anos após a chegada do Partido dos Trabalhadores ao Palácio do Planalto.

Publicidade

A alteração, desta medida provisoria já havia sendo cogitada pelo Congresso Nacional há bastante tempo. Isso foi feito por grande parte dos parlamentares, que fizeram então a aprovação recente da alteração do fator previdenciário. As alegações era de que este vinha descontando a aposentadoria de trabalhadores ao longo de vários anos e que o mesmo vem sendo aplicado de forma desnecessária no período de domínio do PT na politica brasileira de forma geral.